Bolsa de Tóquio sobe 3,1% com discurso de Bernanke

Os comentários de ontem do presidente do Fed (banco central norte-americano), Ben Bernanke, de que a inflação nos EUA pode estar se desacelerando, ajudaram a bolsa de Tóquio a fechar com uma forte alta. O Nikkei 225 subiu 3,1%, a maior alta em quase um mês, atingindo os 14.964,84 pontos. Ações das empresas financeiras não-bancárias e do setor de metais foram as que mais se beneficiaram. Apesar dos ganhos acentuados, muitos operadores consideram que o mercado japonês se encontra em um momento de grande volatilidade, e que o estímulo dado pelo discurso de Bernanke não se refletirá nos próximos pregões. Os papéis da corretora Daiwa Securities e os da financeira Orix estiveram entre os destaques do dia, com altas de 7,8% e 7,5%, respectivamente. A corretora virtual Kabu.com foi outra estrela do pregão, com alta de 9,9%. No setor de metais, Toho Zinc subiu 4,4% e Sumitomo Corp., 5,9%. Entre as empresas de tecnologia, o desempenho foi bastante positivo, a despeito dos resultados decepcionantes divulgados pela norte-americana Intel. A decepção com a Intel foi compensada pelos números da Hoya, também divulgados ontem. A fabricante de lentes de precisão teve valorização de 5,7%. No setor automotivo, a Morgan Stanley rebaixou a classificação dos papéis da Nissan, e manifestou dúvidas quanto à conveniência de uma aliança entre a montadora japonesa, a francesa Renault e a norte-americana GM. Apesar disso, as ações da Nissan subiram 0,5%. (As informações são da Dow Jones)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.