Bolsa de Tóquio tem alta modesta, preocupada com EUA

O principal índice da Bolsa de Tóquio fechou o pregão com leve alta, graças aos papéis de algumas empresas exportadoras, que subiram com a valorização do dólar frente ao iene. No entanto, o receio de que os investidores estrangeiros diminuam seu apetite no começo do próximo ano fiscal, a partir da semana que vem, deve pressionar para baixo o mercado japonês no curto prazo. O índice Nikkei 225 avançou apenas 0,05%, para 17.263,94 pontos, em um dia de poucos negócios. ?Os investidores estão ansiosos sobre o que acontecerá nas bolsas de Nova York e na economia dos EUA?, descreveu Terushige Shibata, da corretora Mizuho Investors. As encomendas de bens duráveis nos EUA subiram 2,5% em fevereiro, ficando abaixo da previsão dos economistas, que projetavam um aumento de 3,5%. O dado, divulgado ontem, alimentou o temor de que os investidores norte-americanos e outros estrangeiros não vão se juntar aos japoneses na compra de ações a partir de segunda-feira. Shibata prevê que, com esse cenário, o Nikkei 225 fique ao redor dos 17.100 pontos no curto prazo. No pregão de hoje, as ações da Orient dispararam 30%, impulsionadas pelo anúncio de ontem do Mizuho Corporate Bank e do Itochu, que divulgaram um grande pacote de ajuda para a problemática empresa de crédito. Oki Electric Industry saltou 14% com a notícia de que a empresa, fabricante de equipamentos de comunicação, planeja reestruturar os negócios que apresentam baixa margem de lucro. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.