Bolsa de Tóquio tem melhor resultado em cinco meses

O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio registrou hoje seu melhor resultado em cinco meses. A paridade relativamente sólida entre o dólar e o iene impulsionou os papéis de tecnologia. Além disso, empresas de leasing tiveram suas ações valorizadas com as informações sobre ofertas de aquisição. O Nikkei 225, principal índice do mercado japonês, subiu 156,22 pontos, ou 0,9%, para 16.692,76 pontos, o nível mais alto desde 11 de maio, quando encerrou aos 16.862,14 pontos. Segundo os participantes do mercado, o Nikkei 225 ganhou mais força depois de ter chegado aos 16.620,15 pontos com relativa facilidade na semana passada. Apesar disso, alguns traders afirmam que ainda é arriscado concluir que o índice entrou em uma fase de alta de médio a longo prazos. Ainda é muito cedo para dizer que ?esta é uma tendência de alta sustentável como a que vimos no último outono. Até agora, trata-se apenas de um rebote após a queda em abril e da baixa em junho?, disse Nobuyuki Nagamori, gerente-geral da Yamamaru Securities. Segundo ele, os investidores vão querer ver os sinais de que o Nikkei atingiu esse nível por um ano para dimensionar o que está acontecendo agora. Honda subiu 1,2% e Kyocera teve alta de 0,6%. Advantest avançou 4,3%. Sony fechou 2,5% acima do preço de abertura, seguindo os ganhos registrados na sexta-feira, depois que o Morgan Stanley elevou sua classificação. Os investidores ignoraram as informações de que Toshiba, Hitachi e Fujitsu podem pedir compensações em razão do recall das baterias fabricadas pela Sony. STB Leasing subiu 18,8% depois que o Sumitomo Trust & Banking disse sexta-feira que irá lançar uma oferta de aquisição pela companhia de leasing. Os papéis da Sumitomo Corp. Leasing tiveram aumento de 6,7% após a divulgação de que o Sumitomo Corp. fará uma oferta de compra pela empresa como parte de seus esforços para reorganizar as operações de leasing do grupo. As ações da fabricante de peças para automóvel Calsonic Kansei caíram 4,3%, depois que a empresa anunciou que espera lucro bruto zero no primeiro semestre encerrado em setembro, atingido pela baixa das vendas de seu maior cliente, a Nissan. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.