Bolsa de Tóquio volta a cair com recuo do dólar

A bolsa de Tóquio recuou fortemente nesta terça-feira em dia fraco para o dólar, o que compeliu os investidores a realizar os lucros após a alta expressiva registrada ontem. O índice Nikkei caiu 2,03%, a 14.804,28 pontos.

Estadão Conteúdo

21 de outubro de 2014 | 07h33

Com o crescimento econômico dando pouco ânimo aos mercados, analistas devem aguardar a posição do Federal Reserve sobre o futuro aperto monetário nos Estados Unidos na reunião do fim deste mês para assegurar uma posição.

"Outubro é um mês tipicamente volátil para os mercados e neste ano não será diferente. No entanto, o movimento de ontem foi muito além das expectativas", disse Yoshihiro Okumura, gestor da Chibagin Asset Management em referência à alta de mais de 4% do Nikkei ontem. O avanço foi o maior nos últimos 16 meses.

A moeda norte-americana perdeu terreno durante a sessão na Ásia, após a alta da segunda-feira. O dólar era negociado a 106,40 ienes no horário do fechamento da bolsa japonesa hoje, ante 107,26 ienes do pregão anterior.

Também repercutiu hoje nos mercados a divulgação do crescimento do PIB chinês do terceiro trimestre. A economia do gigante asiático desacelerou menos do que os economistas esperavam, para uma alta anualizada de 7,3%, de 7,5% do trimestre anterior. Todavia, o resultado levemente acima das expectativas não foi o suficiente para impulsionar as bolsas.

As ações das empresas mais influenciadas pelo dólar recuaram, com as exportadoras como a Toyota Motor fechado em queda de 1,6% e a Honda Motor perdendo 1,5%. Fornecedoras de peças para o iPhone da Apple, que divulgou bons resultados ontem, também foram impactadas pelo movimento geral da Ásia e caíram. A Foster Electric recuou 1,9%, enquanto a Alps Electric teve queda de 2,1% e a Murata desvalorizou 1,9%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.