Bolsa de Xangai cai 0,5% e Hong Kong sobe 1,1%

Ações de empresas do ramo imobiliário puxaram para baixo a Bolsa de Xangai hoje, devido à preocupação dos investidores com possíveis medidas do governo para restringir o crescimento do setor. As perdas foram limitadas, porém, pela valorização das companhias agrícolas, depois de o governo anunciar que aumentará seus investimentos na agricultura. O índice Xangai Composto teve queda de 0,5% e o Shenzhen Composto, de 0,6%. China Merchants Property Development desabou 10%, no limite diário de queda, enquanto Poly Real Estate Group caiu 8,3% e China Vanke declinou 6,3%. Entre as companhias agrícolas, Xin Jiang Korla Pear, Xinjiang Talimu Agriculture Development e Yuan Longping High-Tech Agriculture alcançaram valorização de 10%. O governo chinês anunciou que aumentará os investimentos no setor agrícola para um valor superior a 42,2 bilhões de yuans (US$ 5,42 bilhões) em 2007. No entanto, o governo não divulgou uma meta específica de crescimento, informando apenas que os detalhes serão anunciados após a aprovação pelo Congresso Nacional Popular. No ano passado, os investimentos agrícolas do país cresceram 14,3%, para 42,2 bilhões de yuans. A recente alta do dólar em relação ao iene nos mercados globais derrubou a cotação do yuan, mas os operadores dizem que a moeda local deve retomar sua trajetória ascendente em breve, podendo atingir nova máxima frente ao dólar no final desta semana. No sistema automático de preços, às 5h30 (hora de Brasília), o dólar valia 7,7752 yuans, contra 7,7741 yuans no fechamento de ontem. Hong Kong e Taiwan Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 1,1%, alavancado por operações relacionadas aos futuros, mas os analistas alertam quanto à possibilidade de os ganhos do mercado durarem pouco, na medida em que cresce a expectativa de que a China anunciará medidas para controlar seu crescimento econômico. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou em baixa um pregão de poucos negócios, com os investidores de olho na reunião do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), que começa hoje. O índice Taiwan Weighted declinou 0,2%. As ações do setor de construção civil lideraram as perdas. Segundo um analista, os investidores começaram a corrigir o exagerado otimismo em relação ao mercado imobiliário de Taiwan. A expectativa em torno da entrada de investimentos chineses no setor, a partir de 2008, já teria sido incorporada ao preço das ações. Hung Ching Development & Construction caiu 6,3% e Taiwan Development recuou 6,5%. Coréia do Sul Na Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, o índice Kospi fechou com alta de 0,6%. Os ganhos foram puxados pelas ações de bancos, seguradoras e empresas de construção, em meio à cautela dos investidores ante a reunião do Fed. Hyundai Fire & Marine subiu 4,8%, com a expectativa de aumento nas alíquotas do seguro de automóveis. Hyundai Steel fechou com alta de 0,3%, Kookmin Bank ganhou 1,5% e Hynix Semicon também avançou 0,3%, ajudada pela expectativa em relação aos resultados do quarto trimestre, que serão divulgados amanhã. S-Oil teve alta de 0,6% com as notícias sobre a possível venda de sua participação na Korean Air. Filipinas No mercado filipino, o índice PSE Composto da Bolsa de Manila registrou alta de 0,6%, num pregão com grande volume financeiro. O fato de o Congresso ter votado o orçamento para 2007 estimulou os investidores, já que a decisão deve alocar recursos para projetos de infra-estrutura e serviços. SM Investments subiu 2,8%, com boas perspectivas para o setor bancário e de varejo da empresa. PLDT avançou 0,2%. Austrália e Malásia Em Sydney, na Austrália, o índice S&P/ASX 200 registrou elevação de 0,9%, com grande entrada de recursos, estimulada pelas informações sobre fusões e aquisições. Os papéis mais procurados foram os da Veda Advantage e da Symbion Health. QBE Insurance subiu 4%, a maior contribuição para o bom resultado de hoje. Entre as mineradoras, BHP Billiton caiu 1% e Rio Tinto baixou 1,7%, afetadas pela queda de 3,7% na cotação do cobre na Bolsa de Metais de Londres. Zinifex sofreu desvalorização de 3,4%, depois que problemas operacionais levaram a uma queda na produção do segundo trimestre. Na Bolsa da Malásia, o índice KLSE subiu 0,3%, com os ganhos de ativos presentes na cesta do índice e compras de ações de companhias ligadas ao governo. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.