Bolsa fecha em alta de 0,60%, puxada por commodities

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, voltou a subir hoje, registrando ganho de 0,60%, aos 37.976 pontos, mas ainda sem conseguir recuperar o patamar dos 38 mil pontos. O índice oscilou entre a mínima de -0,33% e a máxima de +1,21%. O volume negociado ficou em R$ 2,66 bilhões. Mereceu destaque hoje a CSN, segunda maior alta do índice, de 3,16%. Operadores relacionaram o desempenho do papel com a notícia de que a Tata Steel considera fazer uma oferta pela anglo-holandesa Corus. Há alguns meses, o mercado trabalhava com a possibilidade de um negócio entre a CSN e a Corus _ se a Tata entrou na disputa, apontam participantes do mercado, provavelmente a CSN estará fora dela. Se isso de fato se confirmar, o mercado faz a conta de sempre: se a companhia brasileira não fizer nova aquisição, não terá gasto nem fará endividamentos e, portanto, poderá distribuir mais dividendos. O dia foi de recuperação de preços de commodities e de várias notícias para mineradoras e siderúrgicas. Ontem esses papéis não tiveram altas tão expressivas quanto a maioria do Ibovespa e, hoje, na contrapartida, valorizaram-se um pouco mais. Outra empresa que fez parte do noticiário hoje foi a Companhia Vale do Rio Doce, que informou que a Comissão Européia a autorizou a fechar a compra da Inco. O presidente da companhia, Roger Agnelli, também afirmou que a Vale quer entrar no bloco de controle da Usiminas e a decisão deve sair em breve. A ação preferencial classe A da empresa subiu 1,76%.

Agencia Estado,

05 de outubro de 2006 | 17h28

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.