Bolsa fecha em baixa de 1,35% com mercado de opções

A Bolsa de Valores de São Paulo registrou forte baixa hoje, refletindo a disputa dos investidores às vésperas do vencimento de opções sobre ações, que acontece na segunda-feira, e prejudicada também pelo mau desempenho das Bolsas de Nova York. O Ibovespa, principal índice, cedeu 1,35%, pra 44.284 pontos. A opção é um contrato que confere ao portador o direito de compra ou venda de um ativo a um preço predeterminado. O vencimento de opções é a data de validade desses contratos. A partir do dia seguinte, o detentor da opção não pode mais exercê-la. Por isso, no dia de vencimento das opções e nos dias imediatamente anteriores, o movimento da Bolsa pode sofrer distorções, com os investidores atuando de forma tal que os preços das ações se aproximem daqueles valores que mais os favorecem quando a opção for exercida. Foi provavelmente o que aconteceu hoje, segundo operadores. Os "vendidos" (investidores que possuem opções de venda de ações) disponibilizaram ações no mercado à vista, influenciando seus preços para baixo. O movimento foi sentido, por exemplo, pelos papéis da Petrobras, que sofreram forte desvalorização, apesar da alta do petróleo nos mercados internacionais. Petrobras PN recuou 1,75%, para R$ 44,80, e Petrobras ON também perdeu 1,75%, para R$ 50,10. Em Nova York, o petróleo fechou em alta de 0,30%, a US$ 59,89 o barril. Em Wall Street, as Bolsas caem em reação a comentários agressivos de vários membros do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), que alertaram para a possibilidade de uma elevação adicional da taxa de juro de curto prazo. Às 18h05 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,56% e o Nasdaq perdia 1,23%. O Ibovespa oscilou entre a mínima de -1,59% e a máxima de +0,35%. O volume negociado totalizou R$ 3,24 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.