WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Bolsa fecha em queda de 1% e dólar supera R$ 3,93 com atraso na Previdência

Votação da reforma da Previdência na CCJ da Câmara foi adiada para a próxima semana

Antonio Perez e Paula Dias, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2019 | 18h06

As dificuldades encontradas pelo governo para fazer andar a reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, com a votação sendo adiada para a próxima semana e a possível retirada de alguns pontos do texto, garantiram a aversão ao risco para os mercados locais.

Ao fim dos negócios, o Ibovespa teve perdas de 1,11%, aos 93.284,75 pontos, enquanto o dólar registrou valorização de 0,85% ante o real no mercado à vista, a R$ 3,9354.

A Bolsa chegou a passar uma parte do dia abaixo dos 93 mil pontos. O ritmo de queda diminuiu na reta final, depois que a Petrobrás anunciou que fará uma entrevista coletiva, às 18h, para falar sobre sua política de preços para os combustíveis. Ao longo da sessão, a procura por dólar cresceu e levou a moeda acima de R$ 3,94 na máxima, com os investidores aumentando a proteção antes do feriado.

A sessão da CCJ desta quarta-feira, quando a proposta de reforma deveria ser votada, voltou a ser marcada por confusão e debates. E já na hora do almoço, estava encerrada, com a análise e a votação do texto remarcadas para a próxima terça-feira.

Além do atraso, também pesou a articulação de deputados para mudar o texto já na CCJ, pois a comissão deveria apenas analisar a admissibilidade da reforma. Representantes da equipe econômica passaram a tarde reunidos com líderes partidários e com membros da CCJ, a fim de garantir um acordo para que o texto seja, de fato, apreciado na próxima semana.

No exterior, os dados positivos do PIB da China chegaram a animar os investidores no começo do dia, mas o movimento de alta das bolsas em Nova York foi perdendo fôlego, até que terminassem em leve queda, com os agentes aproveitando os índices perto de níveis recordes para realizarem lucros.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.