Estadão
Estadão

Bolsa interrompe rali e fecha em queda após subir por 10 dias seguidos

Bovespa encerrou o dia em baixa de 0,21%, com investidores vendendo ações para lucrar; dólar fechou cotado a R$ 3,24, também em queda, e recuou 0,30%

Lucas Hirata, Silvana Rocha, Paula Dias, O Estado de S.Paulo

20 Julho 2016 | 17h39

O principal índice da Bovespa fechou em leve baixa nesta quarta-feira, 20, quebrando a maior série de ganhos desde 2010, embora uma realização de lucros mais forte tenha sido contida pelo avanço das ações de bancos, puxadas por Itaú Unibanco e Banco do Brasil. O Ibovespa terminou o dia em baixa de 0,21%, aos 56.578,04 pontos. A queda ocorre após uma série de 10 altas seguidas, período em que o Ibovespa acumulou ganho de mais de 9%.

O dólar fechou em queda frente ao real, após oscilar entre leves altas e baixas durante boa parte da sessão em um dia de movimentos mistos nos mercados externos, com investidores aguardando pistas sobre os próximos passos da política econômica no Brasil. A moeda recuou 0,30%, a R$ 3,2473. De acordo com informações registradas na clearing da BM&F Bovespa, o volume total de negócios somou US$ 1,518 bilhão.

A moeda norte-americana abriu em queda de 0,18%, aos R$ 3,2514, ainda ecoando os relatórios de ontem do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Instituto Internacional de Finanças (IIF), que melhoraram a expectativa sobre a economia brasileira para 2017.

Com a venda integral de US$ 500 milhões em swap reverso (que equivale a uma compra de moeda pelo Banco Central) e o viés de alta do dólar no exterior, com discussões sobre alta de juros nos EUA, a moeda ante o real passou a subir e atingiu a máxima do dia ainda pela manhã, cotada aos R$ 3,2627 (+0,17%). Esse nível de preço atraiu vendas e as cotações cederam depois até uma mínima de R$ 3,2392 (-0,55%) pouco depois do meio-dia. 

Ações. A queda da Bovespa aconteceu apesar do bom desempenho das bolsas americanas e da alta dos preços do petróleo no mercado internacional. Na lista das ações que mais caíram estiveram algumas das que mais haviam subido ultimamente. 

É o caso dos papéis do setor de Educação, que teve Kroton ON como maior queda do Ibovespa. Mesmo com a queda de 5,02%, o papel da empresa acumula ganho de 59,21% em 2016. Ações de siderurgia e mineração também recuaram, ajudando a puxar o Ibovespa para o terreno negativo. 

Mesmo com o minério de ferro estável no mercado chinês, os papéis da Vale terminaram o dia com perdas de 1,96% (ON) e 0,37% (PNA). A alta dos preços do petróleo não evitou uma correção nas ações ordinárias da Petrobras (-1,30%), as preferidas dos investidores estrangeiros. Já as preferenciais oscilaram perto da estabilidade e terminaram o dia com ganho de 0,34%.  

As altas mais relevantes do dia ficaram com papéis que recentemente passaram a representar a expectativa de melhora da economia brasileira e de movimentações corporativas. Foi o caso de algumas ações do setor imobiliário, como BR Malls, que subiu 2,61%. O setor elétrico sustentou alta durante quase todo o pregão, mas perdeu fôlego à tarde. Nesse grupo, Cemig PN manteve os ganhos e fechou em alta de 0,91%.  

No topo das altas do Ibovespa ficou a ação da Smiles, que subiu 7,77%, influenciada pela expectativa de melhora nos seus resultados trimestrais, cuja divulgação está marcada para 5 de agosto. Bancos estrangeiros e brasileiros vêm projetando melhora nas margens e no lucro de companhias do setor de turismo. /COM AGÊNCIA REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Bovespa Câmbio Dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.