Bolsa sobe 1,60% e volta aos 54 mil pontos

Bovespa fecha no patamar mais alto desde o início do mês, puxada por Petrobrás, Vale, siderúrgicas e construtoras e refletindo ajustes do feriado

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

18 de novembro de 2013 | 17h40

A Bovespa fechou a primeira sessão da semana no nível mais alto de pontuação desde o início do mês, conduzida pelas ações da Petrobrás, Vale, siderúrgicas e construtoras. O forte desempenho da bolsa brasileira refletiu ainda um ajuste aos ganhos recordes registrados pelos índices acionários em Nova York na sexta-feira, quando o mercado doméstico ficou fechado por conta do feriado do Dia da Proclamação da República.

No fim do dia, o Ibovespa subiu 1,60%, aos 54.307,04 pontos, o maior patamar desde 4 de novembro. Na mínima, registrou 53.452 pontos (estável) e, na máxima, 54.317 pontos (+1,62%). No mês, o índice registra leve avanço de 0,09% e, no ano, queda de 10,90%. O giro financeiro totalizou R$ 10,490 bilhões.

A percepção de que o Federal Reserve (Fed) manterá em curso as atuais medidas de estímulo monetário nos EUA, o detalhamento das reformas econômicas na China e indicadores econômicos e notícias corporativas positivas na Europa alimentaram o apetite por risco nesta segunda-feira, 18, nos mercados financeiros. O bom humor externo e o apoio das blue chips ajudaram a Bovespa a reconquistar o patamar dos 54 mil pontos.

As ações da Petrobrás registraram avanço expressivo, em meio a rumores de que um aumento dos preços dos combustíveis para dezembro será anunciado na sexta-feira. No fim da sessão, o papel PN da companhia teve alta de 4,84%, enquanto o ON subiu 3,78%.

Os papéis da mineradora Vale foram impulsionados pela divulgação de um documento pela China, na sexta-feira, 15, que destrinchou o plano político em 15 áreas de atuação e 60 projetos, que parece ir na direção correta do gigante emergente de abrir a economia e favorecer o consumo interno. Vale PNA subiu 2,07% e Vale ON avançou 1,03%.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.