Estadão
Estadão

Bolsa sobe mais de 30% no ano e lidera ranking de investimentos

Já o dólar, apesar de ter fechado julho com valorização de 0,98%, ainda tem baixa de 18,1% no acumulado de 2016

O Estado de S.Paulo

29 Julho 2016 | 10h34

O Ibovespa - principal índice da Bolsa brasileira - fechou em alta de 1,13% nesta sexta-feira, 29, completando sete semanas de valorização e atingindo nova pontuação recorde no ano, de 57.308 pontos. Com isso, manteve a liderança entre os investimentos mais rentáveis no mês e em 2016. De janeiro a julho, a alta acumulada da Bolsa é de 32,2%. Só em julho, o mercado de ações local registrou ganhos de 11,2%.

O administrador de investimento Fabio Colombo acredita que ainda há espaço para avanço da Bolsa, mas os investidores devem ficar atentos agora à capacidade do governo de conseguir apoio no Congresso. "O governo assumiu muitas elevações de gastos e precisa começar a aprovar as medidas de ajuste fiscal. O mercado espera medidas práticas", afirma.

O último pregão do mês teve como destaque as ações da Petrobrás, após a estatal ter anunciado a venda de fatia em área no pré-sal por US$ 2,5 bilhões e com o petróleo em alta.

O noticiário corporativo dominou as atenções, com um conjunto misto de resultados que, combinado com anúncios de revisão de estimativas, colocou Embraer e Ambev na ponta negativa e BRF e Raia Drogasil entre as maiores altas.

 

Dólar. O dólar encerrou o último dia de julho com baixa de 1,59%, a R$ 3,24, mas acumulou no mês alta de 0,98%. No ano, contudo, a moeda americana ainda tem recuo de 18,13% e ocupa a lanterna do ranking de investimento

Operadores acreditam que o dólar pode sofrer nova onda de desvalorização no curto prazo, após a conclusão do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff prevista para o final de agosto, que pode convencer investidores estrangeiros a voltarem com mais força ao Brasil por considerar que um risco político foi afastado.

(Com Agência Estado e Reuters)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.