Bolsa tem leve alta de 0,15%, ajudada pela Vale

Queda das bolsas dos Estados Unidos também ajudou a reduzir o apetite do investidor por medo de riscos na Bovespa

Clarissa Mangueira, Agência Estado

26 de junho de 2014 | 18h14

A Bovespa terminou a sessão com leve alta nesta quinta-feira, 26, recebendo algum suporte do avanço das ações da Vale, apesar de os ganhos terem sido limitados pela queda das ações de alguns bancos e pelo desempenho volátil dos papéis da Petrobrás. A queda das bolsas dos EUA também ajudou a reduzir o apetite por risco na Bovespa.

O Ibovespa terminou a sessão em alta de 0,15%, aos 53.506,75 pontos. Na mínima do dia, registrou 53.331 pontos (-0,18%) e, na máxima, 53.790 pontos (+0,68%). No mês, acumula ganho de 4,43% e, no ano, de 3,88%. O giro financeiro totalizou R$ 4,781 bilhões, segundo dados preliminares.

A Bovespa registrou volatilidade pela manhã, em meio à alta das ações da Vale e dos bancos - que recuaram fortemente na quarta, 25, devido à note de crédito do Banco Central -, e à queda das bolsas de Nova York, que foram pressionadas por comentários de um membro do Federal Reserve.

A Bolsa conseguiu firmar-se em território positivo mais tarde, à medida que a Vale manteve os ganhos, desencadeados pela recuperação dos preços internacionais do minério de ferro. Mas no decorrer do dia, o desempenho misto dos papéis dos bancos e da Petrobrás acabaram por levar o Ibovespa a perder força e fechar perto da estabilidade.

Entre os destaques corporativos, Vale ON (+2,37%) e Vale PNA (+2,17%). No setor financeiro, Bradesco ON (-0,21%), Bradesco PN (-0,21%), Banco do Brasil ON (-0,59%), Itaú Unibanco (-0,34%) e Santander (-0,13%).

Em Nova York, os índices acionários fecharam a sessão em queda, afetados pela preocupação dos investidores com o desempenho da economia dos EUA após a divulgação de novos indicadores. O mercado também reagiu à declaração do presidente do Federal Reserve Bank de St. Louis, James Bullard, de que o Fed poderá passar a elevar as taxas de juro no fim do primeiro trimestre de 2015. Ele considerou uma "aberração" o fato de o PIB dos EUA ter encolhido 2,9% (taxa anualizada) no primeiro trimestre. No fim do pregão em Wall Street, o Dow Jones (-0,13%), o Nasdaq (-0,02%) e o S&P 500 (-0,12%). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.