Bolsa vai subir 18% até o fim do ano, projeta Votorantim

O momento atual do mercado de ações é positivo, analista o economista-chefe da Votorantim Asset Management, Fernando Fix. Ele projeta uma valorização de 18% para o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, até o fim do ano, para cerca de 42.500 pontos. A volatilidade e a queda da Bolsa, afirma, criaram uma oportunidade para reforçar posições compradas. ?Mas é preciso cautela, porque o período de turbulência ainda não terminou?, pondera. Ele cita como exemplos de eventos que devem provocar oscilação no curto prazo a divulgação do índice de inflação nos Estados Unidos (CPI), a fala no Congresso do presidente do banco central norte-americano, Ben Bernanke, além da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) no Brasil. Todos os acontecimentos estão previstos para a próxima semana. ?Até lá, o mercado deve operar em compasso de espera?, prevê. Apesar da incerteza, Fix considera que o cenário de crescimento da economia mundial deve se manter. ?Além disso, o ambiente macroeconômico interno é favorável, com inflação sob controle e possibilidade técnica de redução dos juros?, reitera. Dentro desse quadro, o especialista acredita que as ações dos segmentos de commodities devem continuar se beneficiando da relação favorável entre oferta e demanda. ?Os papéis de empresas de mineração e petróleo e gás estão entre nossas recomendações?, afirma Fix. Outro setor bem avaliado pelo executivo é o financeiro, em razão da crescente demanda por financiamento. ?Os bancos possuem hoje espaço estrutural para expandir o volume de crédito?, avalia, lembrando que a proporção de empréstimos ao setor privado em relação ao PIB no Brasil, atualmente pouco acima de 30%, ainda é bem inferior à de outros países emergentes, como o Chile, onde o crédito representa cerca de 60% da economia. A retomada da economia interna, embora em níveis moderados, deve manter as ações ligadas ao setor de consumo atrativas, segundo Fix. Sem especificar os papéis, ele afirmou que as empresas que dependem mais de variáveis como a renda da população e massa salarial devem ser as principais beneficiadas. ?O crescimento do PIB, mesmo não sendo o ideal, é menos volátil que no passado, o que beneficia o mercado de trabalho?, considera o profissional. A Votorantim Asset estima uma expansão de 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano e de 4% em 2007. A instituição administra cerca de R$ 15 bilhões em recursos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.