Bolsas americanas sobem com foco em dados internos e balanços

Setores de construção de moradias e industrial com quadro mais animador e balanços acima do esperado impulsionam ações

Regina Cardeal, da Agência Estado,

17 de fevereiro de 2010 | 14h21

As ações em Nova York estão em alta modesta em meio a um quadro mais animador para o setor de construção de residências e o setor industrial. Balanços acima do esperado de uma série de companhias, incluindo a Deere, também ajudam a impulsionar as ações.

 

Às 14h15 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 26 pontos, ou 0,26%, para 10.297 pontos. As ações do Bank of America apresentavam o melhor desempenho do índice, com alta de 2,18%. Home Depot também estava particularmente forte, avançando 1,66%, depois da divulgação de que o início de construção de residências atingiu seu nível mais alto em seis meses. Caterpillar subia 0,86%, uma vez que o relatório sobre produção industrial também superou as expectativas.

 

O índice Nasdaq subia 0,50% e o Standard & Poor's 500 estava em alta de 0,49%, liderada por setores ligados ao consumo. A Lowe, concorrente da Home Depot, subia 1,3%. No setor de alimentos, Whole Foods Markets subia 10% após a empresa anunciar um aumento de 71% no lucro do primeiro trimestre fiscal, superando as expectativas de Wall Street, e elevar suas previsão de lucros e vendas para 2010.

 

Os ganhos das ações, embora modestos, indicam que os participantes do mercado voltaram a se concentrar nos dados econômicos e balanços domésticos. Nas últimas semanas, as ações foram empurradas para baixo pelos temores com a dívida soberana de países europeus como Grécia, além dos temores sobre como as medidas de aperto na China poderão afetar a demanda por produtos norte-americanos.

 

"Parece que, após uma longa espera, os fundamentos domésticos e os resultados das empresas estão determinando a direção das ações", disse Craig Peckham, da corretora Jefferies.

 

Construções residenciais

 

Entre os dados desta quarta-feira, 17, o Departamento do Comércio informou que o início de construções residenciais subiu 2,8% em janeiro sobre o mês anterior, para a taxa anual ajustada sazonalmente de 591 mil, a mais alta desde julho de 2009.

 

O Departamento do Trabalho divulgou que os preços de importações dos EUA subiram pelo sexto mês seguido e mais do que o esperado em janeiro, em grande parte por causa de um forte aumento nos preços voláteis do petróleo. A produção industrial dos EUA aumentou em janeiro 0,9%, levemente acima do 0,8% esperado.

 

Deere foi o grande foco entre as companhias que divulgaram balanços. Suas ações subiram 6,1% após a fabricante de equipamentos de agricultura e construção ter anunciado um surpreendente aumento de 19% nos lucros. A companhia também elevou sua previsão de lucros no ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas, EUA, Dow Jones, Nasdaq

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.