Bolsas asiáticas caem após medida da China; Tóquio cai 0,36%

Bolsas da região fecharam em baixa após medida chinesa para esfriar economia, com exceção de Xangai, que teve alta de 0,22%

Reuters,

18 de abril de 2011 | 08h05

As bolsas de valores asiáticas fecharam em baixa nesta segunda-feira, 18, com exceção de Xangai, enquanto investidores digeriam as últimas medidas da China para esfriar a economia.

No domingo, a China elevou o depósito compulsório dos bancos pela quarta vez neste ano. A medida não foi uma surpresa, pois participantes do mercado já previam um aperto monetário maior após dados mostrarem, na semana passada, que a inflação acelerou no país.

Em sinal de que a ação de Pequim já era antecipada, o mercado de Xangai fechou em alta de 0,22%, anulando as quedas iniciais. Xangai é a bolsa com o melhor desempenho até agora em 2011, com ganhos de cerca de 9%, enquanto autoridades chinesas elevam as taxas de compulsório bancário e de juros. Por outro lado, a bolsa da Índia declinou 4,5% no acumulado do ano, em meio às dificuldades do país para controlar a inflação.

Em Tóquio, o índice Nikkei caiu 0,36%, pressionado por quedas no setor de telecomunicações. O índice acionário da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 0,4% às 7h45 (horário de Brasília). O mercado de Seul atingiu uma nova máxima recorde antes de encerrar em baixa de 0,13%.

Com o fortalecimento das moedas sendo usado por países como ferramenta para combater a inflação, investidores estão aumentando a exposição ao yuan chinês e ao dólar de Cingapura, melhorando as apostas no won sul-coreano.

Em Hong Kong, o mercado caiu 0,74% e a bolsa de Taiwan recuou 0,04%. Cingapura encerrou em queda de 0,28% e Sydney fechou com ganho de 0,2%.

(Por Saikat Chatterjee)

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsiaTóquiocompulsórioChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.