Bolsas asiáticas caem com preocupações com EUA

Investidores estão céticos sobre a possibilidade de a China anunciar novas medidas de estímulos para garantir o crescimento do país

Marcelo Ribeiro Silva, com informações da Dow Jones , Agencia Estado

25 de março de 2014 | 09h09

As bolsas asiáticas encerraram o pregão desta terça-feira em terreno negativo, refletindo a queda generalizada dos índices acionários norte-americanos na sessão de ontem e diante do ceticismo de alguns investidores sobre a possibilidade de a China anunciar novas medidas de estímulos para garantir o crescimento do país.

O recuo das bolsas de Nova York pesou sobre o sentimento na Ásia. Os índices norte-americanos caíram em reação a indicadores fracos e à baixa das ações de biotecnologia.

Na China, os investidores viram com ceticismo rumores de que o governo pode adotar novas medidas para sustentar a economia após uma série recente de indicadores domésticos fracos, mas as bolsas fecharam a sessão sem direção única. O índice Xangai Composto avançou 0,05%, a 2.067,31 pontos, enquanto o Shenzhen Composto perdeu 0,20%, a 1.083,31 pontos.

A queda da Bolsa de Hong Kong foi determinada pela desconfiança de que o governo chinês não intervirá com firmeza para combater a desaceleração da China. O índice Hang Seng caiu 0,52%, a 21.732,32 pontos. Entre os demais índices da região, o sul-coreano, Kospi, recuou 0,22%, a 1.941,25 pontos, enquanto o PSEi, da Bolsa de Manila, nas Filipinas, perdeu 1,01%, a 6.336,33 pontos.

Na região do Pacífico, a Bolsa da Austrália também fechou em terreno negativo, diante do enfraquecimento do preço do ouro. A queda, porém, não foi maior porque os preços do minério de ferro foram sustentados pela esperança de que novas medidas chinesas sejam anunciadas. O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, perdeu 0,19%, a 5.336,6 pontos.

Japão. A Bolsa de Tóquio encerrou o pregão desta terça-feira em queda diante das preocupações de que a política econômica do Japão pode não ser capaz de acompanhar a recuperação do país após o aumento do imposto sobre vendas, previsto para abril.

A queda das bolsas de Nova York na sessão anterior desencadeou o pessimismo entre os investidores japoneses no início do pregão. Além disso, os participantes do mercado estão preocupados com a relativa falta de progressos das reformas estruturais do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe .

O índice Nikkei fechou em queda de 0,4%, a 14.423.19 pontos, após ter avançado 1,8% na sessão anterior.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.