Bolsas asiáticas caem em meio a dados fracos

As bolsas asiáticas registraram recuo na sessão desta quinta-feira após dados industriais fracos da China e a queda dos papéis da PetroChina, que divulgou balanço semestral após o fechamento dos pregões. O mercado acionário de Hong Kong foi pressionado não apenas pela petroleira, que recuou 2,8%, como também por um movimento de realização de lucros após as altas recentes, fechando no menor patamar em duas semanas. O Heng Seng caiu 0,62%, a 24.741,00 pontos.

ALEXANDRE DALLARA, Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2014 | 08h29

Na China continental, os investidores venderam posições no setor bancário e imobiliário, fazendo o Shenzhen Composto ter a maior perda da região, de -0,87%, a 1.198,71 pontos, e o Xangai Composto terminar o pregão em recuo de 0,62%, a 2.195,82 pontos.

Nas Filipinas, o índice PSEi também seguiu o movimento, com recuo de 0,83%, a 7.100,70 pontos, enquanto o Straits Times, de Cingapura, perdeu 0,34%, a 3.330,22 pontos.

A bolsa de Taiwan chegou a atingir o nível mais alto em mais de um mês, com o avanço das empresas do setor de tecnologia, mas terminou o dia próxima à estabilidade, em ligeira queda de 0,08%, a 9.478,37 pontos. O índice Kospi, de Seul, na Coreia do Sul, também rondou a estabilidade, em fraca elevação de 0,04%, em 2.075,76 pontos.

Na Austrália, Sydney acompanhou as principais bolsas da Ásia, chegando ao patamar mais baixo das últimas três semanas em meio ao aumento dos riscos geopolíticos na Ucrânia e a contínua desvalorização dos preços do minério de ferro. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,47%, a 5.624,40 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.