Bolsas asiáticas fecham em alta

Os mercados de ações na Ásia fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, depois que o Parlamento do Reino Unido afirmou que não deve apoiar um ataque internacional contra a Síria.

AE, Agencia Estado

30 de agosto de 2013 | 07h21

Temores sobre uma possível intervenção militar na Síria, que pesaram sobre os mercados globais nesta semana, continuaram a se enfraquecer, pois houve sinais de que a ação pode não ser iminente. Na quinta-feira, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, perdeu no Parlamento a votação que endossaria uma ação militar contra a Síria por 13 votos, 285 contra e 272 a favor.

A votação foi uma derrota para o governo que parecia há poucos dias estar próximo de se juntar aos EUA em um possível ataque para punir o regime de Bashar Assad, pela alegação do uso de armas químicas. Cameron prometeu respeitar a vontade do Parlamento.

Além disso, as ações em Wall Street avançaram na quinta-feira e deram sinais positivos para os mercados asiáticos. Os avanços em Nova York ocorreram depois da divulgação de dados que mostraram que a economia dos EUA expandiu no segundo trimestre de maneira mais acentuada do que se pensava. Os mercados norte-americanos devem ficar fechados na segunda-feira para o feriado do Dia do Trabalho.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 fechou com avanço de 0,8%, no nível mais alto em três dias aos 5.135,0 pontos. Já o índice Kospi fechou no maior nível em três meses aos 1.926,36 pontos, alta de 1,0%. Em Taipé, o índice Taiwan Weighted subiu 1,32%, para 8.021,89 pontos. O índice PSEi, da Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou o pregão em alta de 2,2%, aos 6.075,17, influenciado também pelos fortes dados do PIB nacional.

Já as ações na China tiveram performances mais fracas que o resto da região nesta sexta-feira, uma vez que os investidores se mostraram cautelosos antes de mais uma rodadas de dados do país.

O índice Xangai Composto subiu 0,1%, para 2.098,38 pontos. Na semana, o índice ganhou 2,0%, depois de perder 0,5% na semana passada. O índice avançou 5,3% em agosto, avançando pelo segundo mês seguido.

O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, fechou estável aos 21.731,37 pontos e o índice Shenzhen Composto caiu 1,8%, para 996,70 pontos.

Os investidores devem ficar de olho nos dados oficiais da atividade industrial de agosto para ver se eles confirmam a estabilização na segunda maior economia do mundo. O índice de gestores de compras (CPI, na sigla em inglês) oficial do setor industrial da China deve avançar para 50,6 em agosto, de 50,3 em julho, de acordo com a mediana das previsões de economistas consultados pela Dow Jones. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.