Bolsas asiáticas fecham em alta, mas Xangai cede 0,03%

Os principais índices da Bolsa de Xangai, na China, apresentaram sinais opostos no pregão de hoje. O Xangai Composto fechou em baixa de 0,03%, recuperando-se da mínima de 2,9% registrada durante a sessão. Ontem, o índice caiu 4,9%, o que correspondeu ao maior recuo porcentual em oito meses. O Shenzhen Composto subiu 0,6% hoje. Analistas ressaltaram que a volatilidade do mercado acionário chinês deve se manter intensa no curto prazo, diante das divergências sobre a perspectiva para o mercado. Alguns caçadores de pechinchas, no entanto, retornaram, ofuscando a preocupação dos investidores com a possibilidade de os órgãos reguladores adotarem medidas para esfriar o mercado acionário. Essa preocupação surgiu na sexta-feira passada, quando um executivo do Banco Popular da China (banco central do país) disse que os órgãos reguladores estão de olho no preço das ações. No fim de semana, a Shanghai Securities News informou que o órgão regulador do sistema bancário havia reafirmado a proibição de os bancos concederem empréstimos para financiar investimentos em ações. Na segunda-feira, a Bolsa de Xangai alertou em um comunicado que os volumes recordes de papéis negociados podem desestabilizar seu sistema eletrônico de negociação. As ações do China Minsheng Banking tiveram alta de 2,3%, mesmo porcentual de valorização da CITIC Securities. Daqin Railway apresentou queda de 5,2%. No mercado cambial chinês, o yuan teve forte alta frente ao dólar, impulsionado pela desvalorização da moeda norte-americana nos mercados globais. Também contribuíram para a alta as declarações do secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, que em depoimento ao Senado americano reiterou o pedido para que a China adote uma política cambial mais flexível. No sistema automático de preços, às 5h25, o dólar recuava para 7,7561 yuans, de 7,7732 ontem. Taiwan A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou praticamente estável, com o índice Taiwan Weighted marcando elevação de apenas 0,02%. A valorização das ações do setor de turismo foi ofuscada pelas realizações de lucros com ações da indústria de papel. As primeiras foram beneficiadas pela expectativa de que a China suspenda em breve a proibição de viagens turísticas dos cidadãos chineses a Taiwan. Hotel Holiday Garden atingiu o limite diário de valorização, com alta de 7%. As indústrias de papel tiveram o pior desempenho da bolsa, devido ao pessimismo dos investidores quanto à sua elevada exposição ao mercado chinês. Chung Hwa Pulp caiu 2,4% e Long Chen Paper declinou 2,8%. Coréia do Sul O índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, avançou 1,67%, puxado por bancos e siderúrgicas. Os ganhos de ontem em Wall Street também influenciaram o resultado do pregão. Apesar da queda geral nas vendas de automóveis em janeiro, as ações das montadoras subiram. Hyundai Motor registrou alta de 1,3%. Shinhan Financial avançou 4,7%, com a expectativa em torno de seus resultados do quarto trimestre, que serão divulgados amanhã. As ações da siderúrgica Posco subiram 3,3%, influenciadas pela perspectiva de reajuste no preço do aço e pelos boatos sobre uma possível fusão envolvendo a empresa. Austrália A Bolsa de Sydney, na Austrália, registrou recorde de alta hoje com a combinação do resultado da reunião do banco central americano e os ganhos no mercado local. O índice S&P/ASX 200 subiu 0,7%, para 5.814,1 pontos. Rio Tinto teve alta de 2,2%, a maior contribuição para a alta do mercado, antes mesmo da divulgação de seus lucros. Alumina Limited avançou 5,6% após informar um aumento de 62% em seus lucros e planos para a recompra de ações. O setor bancário também teve bons resultados depois que o Adelaide Bank elevou suas expectativas de lucro para o ano. Indonésia e Filipinas Na Indonésia, o Jacarta Composto subiu 0,8%, para 1.771,32 pontos, animado pela perspectiva de que o banco central do país deve reduzir a taxa de juro de 9,5% para 9,25% ao ano no encontro da próxima semana. O PSE Composto, da Bolsa de Manila (Filipinas), subiu 0,2% auxiliado pela queda do déficit público, o menor registrado em oito anos. ?Os dados sobre o setor público devem dar mais ímpeto ao mercado?, disse Astro del Castillo, da First Grade Holdings. Megaworld subiu 7,6% e Metrobank teve aumento de 2,5%. SM Prime avançou 6,4% e PLDT caiu 1% com a queda de 1,7% de seus ADRs ontem. Os mercados financeiros da Malásia não funcionaram, por causa de um feriado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.