Bolsas asiáticas fecham em alta; Xangai sobe 2,6%

Recursos que estavam aplicados na malsucedida subscrição de ações da seguradora Ping An Insurance (Group) Co. retornaram hoje à Bolsa de Xangai, na China, e levaram à alta do pregão, puxada pelos papéis de primeira linha. O índice Xangai Composto subiu 2,6% e o Shenzhen Composto, 2,3%. Entre as blue chips que se destacaram, Citic Securities ganhou 6,5%, China Petroleum & Chemical avançou 5,5% e China Merchants Bank aumentou 5,7%. No mercado cambial chinês, o yuan se valorizou frente ao dólar, influenciado pela queda da moeda norte-americana nos mercados globais. Segundo os operadores, o abandono de posições compradas, num movimento que antecede o feriado do Ano Novo chinês, pode ampliar a baixa do dólar. No mercado de balcão, às 5h30 (hora de Brasília), o dólar era cotado a 7,7585 yuan, contra 7,7662 no fechamento de ontem. No sistema automático de preços, às 5h15, o dólar caía para 7,7581 yuan, de 7,7680 yuan no fechamento anterior. Na Bolsa de Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,4%, encorajado pelos ganhos em Wall Street ontem. Analistas, no entanto, acreditam que os ganhos estejam limitados no curto prazo e que até mesmo uma correção possa ocorrer. As blue chips tiveram desempenho misto, com China Mobile avançando 0,6% e Esprit terminando em baixa de 1,4%. Na Bolsa de Taipé, em Taiwan, o índice Taiwan Weighted fechou com alta de 0,9%. O mercado comemorou a decisão do líder da oposição, Ma Ying-jeou, de concorrer às eleições presidenciais de 2008, mesmo tendo sido indiciado ontem por suspeita de corrupção. ?Os investidores estão confiantes na melhoria das relações entre Taiwan e China se ele assumir o poder?, explicou o analista de uma corretora. A alta foi liderada pelos setores de construção civil e eletrônica. Powerchip Semiconductor subiu 2,4% e Innolux Display avançou 7%, o limite diário de valorização. O índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, ganhou 1,3%, ajudado pelo bom desempenho das Bolsas dos EUA, pelo resultado positivo das negociações para o desarmamento nuclear da Coréia do Norte e pela expectativa de uma elevação na classificação de risco da dívida do país. Kookmin Bank ganhou 1,9; Hyundai Steel avançou 3,2% e Samsung Electronics teve alta de 0,9%. O mercado de ações de Sydney, na Austrália, fechou com o índice S&P/ASX 200 apontando alta de 0,4%, apoiado pelos fortes ganhos das mineradoras. Os papéis dessas empresas subiram com a alta no preço das commodities. Os balanços corporativos também ajudaram a bolsa, com destaque para a Leighton Holdings e para a Computershare, que dispararam após divulgar resultados que superaram as projeções. Nas Filipinas, o índice PSE Composto, da Bolsa de Manila, atingiu sua maior pontuação em uma década, ajudado pelos ganhos de ontem em Wall Street e ainda refletindo a queda das taxas de juros internas. Com alta de 2,1%, o índice chegou aos 3.300,94 pontos, seu melhor fechamento desde 4 de março de 1997. Philippine Long Distance Telephone (PLDT) subiu 3,2%. Em Jacarta, o índice JSX Composto subiu 1,37%. A bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, fechou com o índice Composto em alta de 0,92%. Em Cingapura, o Straits Times avançou 1,05%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.