Bolsas asiáticas fecham em direções divergentes

Os mercados de ações da região da Ásia e do Pacífico fecharam em direções divergentes nesta sexta-feira. As preocupações com o Banco Espírito Santo (BES), uma das principais instituições bancárias de Portugal, elevaram os temores sobre um risco sistêmico vindo da Europa e direcionaram as vendas nas bolsas, contudo fatores locais, como expectativa por indicadores chineses, ajudaram a sustentar ganhos nos papéis.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2014 | 09h01

Desde maio, as irregularidades descobertas nas contas de companhias controladoras do BES vêm alimentado temores entre os investidores. A situação agravou-se após a notícia publicada na quarta-feira de que o Espírito Santo International (ESI) atrasou pagamentos de cupons relativos a alguns títulos de dívida de curto prazo. Em reação, as bolsas europeias e de Nova York fecharam em forte queda. O sentimento negativo se estendeu até à Ásia no início do pregão local, embora o impacto tenha sido de curta duração em vários mercados, tendo em vista que as ações conseguiram se recuperar ao longo do dia, em um movimento de correção, ante outras perdas observadas no começo da semana.

"Este é apenas um evento isolado ou é a primeira fissura na corrente para disparar os receios de contágio?", disse a estrategista Evan Lucas, da IG Markets. "Estas questões ferveram e os dados sugerem que a normalização nestas economias ainda estão longe".

Com isso, o índice Kospi, de Seul, perdeu 0,70%, aos 1.988,74 pontos, levando a um recuo semanal de 1,04%. O índice PSEi, de Manila, cedeu 0,52%, aos 6.901,09 pontos, com queda na semana de 0,88%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve leve baixa de 0,02%, aos 23.233,45 pontos, o que resultou em variação negativa de 1,31% na semana.

Na China, por outro lado, o índice Xangai Composto ganhou 0,42%, aos 2.046,96 pontos, mas registrou perda semanal de 0,60%. O ganho na sessão ocorreu diante da expectativa sobre os números do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre, previsto para a próxima semana, e esperança sobre uma amenização nas regras do setor imobiliário. O índice Shenzhen Composto subiu 0,63%, para 1107.81, limitando a queda semanal a 0,51%.

A tendência de alta também foi observada em Sydney, onde as ações dos quatro maiores bancos da Austrália conseguiram contrabalançar as preocupações vindas da Europa e as quedas na Rio Tino e no Fortescue Metals. A moeda do país também conseguiu avançar durante o pregão, uma vez que muitos trader citaram que a divisa já demonstra algumas características de "porto seguro". O índice S&P/ASX 200 fechou em alta de 0,41%, aos 5.486,80 pontos. com informações da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.