Bolsas asiáticas fecham em direções divergentes

China foi destaque ao encerrar pregão com ganhos, sob expectativas do setor financeiro com lucros das corretoras

27 de maio de 2013 | 06h44

Os mercados de ações da Ásia fecharam em direções divergentes nesta segunda-feira. A Bolsa de Sydney registrou a quinta queda consecutiva com preocupações sobre o declínio do dólar local e os fracos preços das commodities. Por outro lado, as ações na China avançaram com expectativas no setor financeiro sobre possíveis aumentos de lucros das corretoras.

O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, fechou em queda de 0,5%, aos 4.959,9 pontos, depois de atingir o menor nível em cinco semanas, aos 4.931,2 pontos, no início do pregão.

O enfraquecimento do mercado de ações coincidiu com a aproximação do dólar australiano ao menor nível em 12 meses (US$ 0,9582), caindo para US$ 0,9616 na sessão, ante US$ 0,9652 no final da tarde de sexta-feira em Nova York.

Os bancos e outras empresas de altos dividendos pressionaram o pregão em Sydney. Um dólar australiano enfraquecido faz com que os relativos altos dividendos pagos por empresas locais fiquem menos atraentes para os investidores estrangeiros.

O Commonwealth Bank of Australia cedeu 0,8% e o Bank of Queensland perdeu 1,3%.

As mineradoras também se enfraqueceram em meio a preocupações persistentes sobre o crescimento econômico da China. O Fortescue Metals Group caiu 3,1% e a Rio Tinto perdeu 2,6%.

Por outro lado, as ações na China terminaram em alta liderada por ganhos em corretoras com expectativas de que seus lucros sejam ainda maiores.

O índice Xangai Composto subiu 0,2%, para 2.293,08 pontos, e o índice Shenzhen Composto avançou 0,8%, para 1.037,19 pontos. Os investidores apostam em uma melhora nos lucros das corretoras graças a uma recuperação do volume de negócios no mercado. A Huatai Securities ganhou 4,3%, a Everbright Securities subiu 3,0% e a Haitong Securities avançou de 2,0%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 0,3%, aos 22.686,05 pontos.

As ações nas Filipinas, por outro lado, recuaram uma vez que os investidores realizaram lucros em meio a preocupações crescentes de que o Federal Reserve, dos EUA, pode começar a reduzir seu programa de compra de ativos mais cedo do que o esperado. O índice PSEi terminou em queda de 2,4% no menor nível em quatro semanas, aos 7.097,51 pontos.

Já na Bolsa de Taipé, o índice Taiwan Weighted subiu 0,9%, para 8.280,10 pontos. O mercado local mostrou uma recuperação técnica após perdas recentes, mas o volume de negociação foi baixo com a falta de novos catalisadores.

Em Seul, as ações de alguns exportadores da Coreia do Sul também terminaram em terreno positivo, em meio a expectativas de que um iene japonês fortalecido pode melhorar a competitividade sul-coreana às custas dos concorrentes japoneses. O índice Kospi ganhou 0,3%, aos 1.979,97 pontos. A Kia Motors avançou 1,2% e a Hyundai Motor fechou em alta de 1,5%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.