Bolsas asiáticas fecham em direções divergentes

Os índices acionários da região da Ásia e do Pacífico fecharam em direções divergentes nesta sexta-feira, influenciados por fatores locais e perspectivas para a política monetária dos Estados Unidos. As incertezas sobre o programa para interligar as operações nas bolsas de Xangai e Hong Kong levaram uma onda de vendas no mercado da China continental, mas o índice Hang Seng conseguiu encerrar em alta diante de expectativas de que o Federal Reserve poderá manter o programa de compras de ativos por mais tempo.

AE, Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2014 | 08h11

O executivo-chefe da Bolsa de Hong Kong, Charles Li, afirmou que a data para o lançamento do programa para interligar os negócios com ações em Xangai e Hong Kong ainda não foi definida. "Não há um cronograma", disse Li, durante evento para listagem de uma empresa. "Todo o trabalho preparatório foi feito e estamos esperando que os reguladores decidam o melhor momento para o lançamento", acrescentou. No anúncio inicial, feito em abril, a previsão era que o programa começaria em "cerca de seis meses".

As dúvidas sobre o programa levaram o índice Xangai Composto a encerrar com perda de 0,65%, aos 2.341,18 pontos, enquanto o índice Shenzhen Composto fechou em baixa de 0,70%, aos 1.323,52 pontos. Na semana, as perdas foram de 1,40% e 2,01%, respectivamente.

Por outro lado, a Bolsa de Hong Kong ganhou força, após o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, afirmar na quinta-feira que o banco central norte-americano pode postergar o fim das compras de bônus, diante da recente aversão ao risco observada nos mercados internacionais. O índice Hang Seng subiu 0,53%, para 23.023,21 pontos, limitando a perda semanal a 0,28%.

A tendência de alta também foi observada na Austrália, com busca por barganhas, após quedas recentes. O índice S&P/ASX 200, de Sydney, ganhou 0,32%, a 5.271,70 pontos, impulsionando a elevação na semana para cerca de 1,6%. O setor de mineração teve um desempenho inferior ao do mercado mais amplo, depois de uma queda nos preços das commodities, incluindo o cobre, níquel e minério de ferro. Embora as ações da BHP Billiton tenham subido 0,22%, os papéis da Rio Tinto perderam 0,87%.

Em outras praças, ainda foi registrada uma preocupação com a economia global, o que continuou a gerar saída das ações. O índice sul-coreano Kospi, da Bolsa de Seul, perdeu 0,95%, aos 1.900,66 pontos, com queda na semana de 2,07%. O índice Taiex, de Taiwan, caiu 1,40%, a 8.512,88 pontos, com perda semanal de 2,90%. Com informações da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
ÁsiaBolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.