Bolsas asiáticas fecham em direções mistas

Os mercados de ações da região da Ásia e do Pacífico fecharam em direções divergentes nesta terça-feira, com destaque para a recuperação na China e volatilidade acentuada na Austrália. A Bolsa de Sydney chegou a atingir o nível mais alto em seis anos durante o pregão, contudo os ganhos não foram sustentados e os papéis fecharam em terreno negativo. A Bolsa de Tóquio permaneceu fechada devido a um feriado no Japão.

AE, Agencia Estado

29 de abril de 2014 | 08h25

As ações na China encerraram uma série de quatro baixas seguidas e fecharam em alta nesta terça-feira, lideradas por incorporadoras imobiliárias em meio a esperanças sobre uma flexibilização da política para o setor. Segundo a agência de notícias Xinhua, o governo da cidade de Nanning cancelou um limite administrativo para compra de imóveis com o objetivo de impulsionar as vendas.

Para a empresa de pesquisa NSBO Beijing, o anúncio marca o primeiro afrouxamento oficial das restrições em compra de propriedades. "Acreditamos que os anúncios locais deve se acelerar", disse a NSBO.

Com isso, o índice Xangai Composto encerrou em alta de 0,84%, aos 2.020,34 pontos. O índice Shenzhen Composto subiu 1,3%, para 1.019,84 pontos. O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, se recuperou após atingir o menor nível em um mês na segunda-feira e subiu 1,45%, para 22.453,89 pontos, puxado por resultados corporativos positivos.

Na Austrália, uma forte onda de vendas em papéis de bancos e mineradoras pressionou o Bolsa de Sydney, após um início positivo do pregão. A Westpac Banking Corp e o National Australia Bank caíram depois que foram rebaixados pelo Citigroup, enquanto a Rio Tinto e a BHP Billiton fecharam em queda após o minério de ferro à vista ceder 2,2%. O índice S&P ASX 200 fechou em queda de 0,9%, aos 5.486,60 pontos, depois de tocar 5.554,50 pontos no início da sessão.

À espera de novos indicadores e eventos econômicos dos EUA e da China, os investidores da região se mostraram cautelosos. O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) anuncia decisão de política monetária e os EUA publicam dados do Produto Interno Bruto na quarta-feira. Na sexta-feira, será apresentado o relatório de emprego norte-americano, que deve dar mais sinais sobre a saúde do mercado de trabalho do país. Na China, por sua vez, os agentes do mercado deverão analisar de perto indicadores do setor industrial.

Na sessão de hoje, os investidores também observaram o lucro de empresas como a Sinopec, cujas ações avançaram em Hong Kong. A empresa chinesa registrou um lucro mais fraco do que o esperado no primeiro trimestre por causa dos custos mais elevados e uma perda maior a partir de produtos químicos.

As ações da Samsung Electronics caíram na Bolsa de Seul depois que a empresa registrou um aumento de 5,9% no lucro do primeiro trimestre. Embora o desempenho de sua unidade móvel tenha sido melhor que o esperado, as números relacionados a smartphones ficaram estáveis em relação ao mesmo período do ano anterior, ressaltando a necessidade de maior fabricante de smartphones do mundo em manter os custos baixos dadas as incertezas sobre a demanda pelo Galaxy S5.

Com isso, o índice Kospi, de Seul, perdeu 0,23%, para 1964,77 pontos. O índice Taiwan Weighted, da Bolsa de Taipé, ganhou 0,7%, para 8872,11 pontos. Nas Filipinas, o índice PSEi, de Manila, registrou alta de 0,5%, aos 6636,45 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.