Bolsas asiáticas fecham em queda após dado da China

As bolsas asiáticas encerraram o pregão desta quarta-feira em queda, pressionadas pelo fraco dado preliminar de atividade industrial da China, que atingiu seu menor nível em sete meses.

MARCELO RIBEIRO SILVA, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2014 | 09h13

A queda das ações em Wall Street na sessão anterior, em reação à ata do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), contribuiu para que o sentimento de cautela prevalecesse entre os investidores da região. Um alerta do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre os problemas atuais dos países emergentes também colaborou para o movimento de baixa das bolsas.

Na China, as bolsas caíram após dados fracos de manufatura do país. As ações de petrolíferas, porém, avançaram e impediram que as perdas dos índices chineses fossem mais expressivos. O índice Xangai Composto perdeu 0,2%, a 2.138,78 pontos, enquanto o Shenzhen Composto recuou 1,6%, a 1.139,27 pontos. O Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, seguiu a tendência e caiu 1,19%, a 22.394,08 pontos.

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da China caiu para 48,3 em fevereiro, de 49,5 em janeiro, segundo dados preliminares divulgados pelo HSBC, sinalizando que a atividade manufatureira continua se contraindo na segunda maior economia global.

Os papéis das corretoras foram os destaques negativos na China. A CITIC Securities caiu 3%, enquanto a GF Securities e a Industrial Securities recuaram 1,9% e 1,7%, respectivamente.

No início da sessão, os mercados chineses operaram em alta, com os investidores recebendo positivamente a notícia de que a Sinopec, maior empresa de refino de petróleo do país, planeja abrir sua comercialização e distribuição de operações domésticas para investidores internacionais.

As ações de petrolíferas foram beneficiadas pela decisão da Sinopec. Os papéis da companhia subiram mais de 10% neste pregão, enquanto as ações da Petrochina subiram 4,7%.

O principal índice acionário de Taiwan, o Taiex, se desvalorizou 0,61%, fechando a 8.524,62 pontos, enquanto o índice sul-coreano Kospi recuou 0,64%, a 1.930,57 pontos. Por outro lado, o filipino PSEi subiu 0,92%, a 6.352,76 pontos, sustentado pela decisão de fundos internacionais de tomarem novas posições em ações locais em função de avaliações melhores. Na Tailândia, o índice SET teve forte queda de 1,2% após o dado decepcionante da China e meio à crise política interna.

O dado manufatureiro chinês pesou também sobre o mercado australiano, que tem fortes laços comerciais com a China. Apesar dos fortes resultados corporativos domésticos, os ganhos foram praticamente apagados após a divulgação do indicador chinês. O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, na Austrália, subiu 0,1% e encerrou o dia a 5.412,3 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.