Bolsas asiáticas fecham em queda com fatores locais

Os mercados de ações da região da Ásia e do Pacífico fecharam em queda nesta quarta-feira, com fatores locais. As bolsas na China foram pressionados por preocupações com o mercado imobiliário, após uma nova rodada de indicadores negativos do setor. Na Austrália, os investidores mostraram uma certa cautela diante de informações sobre a área de energia.

Agência Estado

18 de junho de 2014 | 09h01

Segundo cálculos do Wall Street Journal, com base em números divulgados pela Agência Nacional de Estatísticas da China, o preço médio de novos imóveis em 70 cidades do país caiu 0,15% em maio ante abril. O resultado marcou a primeira queda na comparação mensal desde maio de 2012. Em abril, os preços haviam subido 0,06% ante março. Na comparação anual, o preço médio avançou 5,35% em maio, contra uma aceleração de 6,42% em abril e de 7,32% em fevereiro.

O setor bancário também foi pressionado na China após a agência de auditoria do governo afirmar que encontrou irregularidades financeiras em dois bancos grandes estatais. O Escritório Nacional de Auditoria disse que seis filiais do Bank of China, quarto maior credor do país em ativos, podem ter concedido 6,43 bilhões de yuans em empréstimos a clientes não qualificados e podem ter violado as regras de hipoteca. O órgão disse que Agricultural Development Bank of China ofereceu 6,80 bilhões de yuans em créditos de maneira irregular, entre 2006 e 2012. As ações do Bank of China caíram 0,72%.

Preocupações sobre a liquidez em meio à listagem de novas ações foram outro fator negativo nas bolsas chineses. Quatro empresas lançaram novas ações na quarta-feira para subscrição e mais três irão passar por este processo nesta semana. Com isso, o índice Xangai Composto perdeu 0,54%, a 2055,52 pontos. O índice Shenzhen Composto caiu 0,66%, para 1068,72 pontos. Em Hong Kong, as ações terminaram em leve baixa de 0,09%, a 23181,72 pontos.

No radar dos investidores, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) anunciará a decisão de política monetária hoje, o que alimentou um sentimento de cautela. O mercado aguarda a continuidade do ritmo de redução no programa de compra de ativos. Após o anúncio, a presidente da instituição, Janet Yellen, concede coletiva de imprensa.

O mercado de ações da Austrália, por sua vez, fechou em baixa na quarta-feira. Entre os destaques, os investidores analisaram a venda de ações da Woodside Petroleum pela Royal Dutch Shell. As papéis da Woodside recuaram 4,55% depois que a Shell vendeu ações da empresa para investidores institucionais. Os papéis da Fortescue Metals subiram 2,03%, após o minério de ferro à vista avançar 0,3%. O índice S&P/ASX 200, de Syndey, perdeu 0,33%, aos 5382,70 pontos.

Na Tailândia, o índice SET cedeu 1,34%, aos 1451,36 pontos, após o banco central do país manter sua taxa básica de juros em 2%, alegando que a incerteza política nacional deve diminuir depois de um golpe de Estado em 22 de maio. Com informações da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.