Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em alta

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira, após o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) sugerir que não tem pressa para começar a elevar juros. Na China, porém, os mercados ficaram praticamente estáveis, com a busca por barganhas ajudando a compensar dados de comércio exterior mais fracos do que o esperado da segunda maior economia do mundo.

SERGIO CALDAS, Agência Estado

10 de julho de 2014 | 09h14

O principal índice acionário chinês, o Xangai Composto, teve queda marginal de 0,01%, a 2.038,34 pontos. O Shenzhen Composto, que acompanha empresas chinesas menores, recuou 0,14%, a 1.100,86 pontos.

A balança comercial da China decepcionou os investidores, com superávit menor que o previsto em junho, de US$ 31,6 bilhões, e acréscimo anual de 7,2% nas exportações, bem abaixo do aumento previsto de 10,0%. A demanda mais forte por blue chips relativamente baratas, no entanto, acabou garantindo o equilíbrio dos mercados chineses hoje. Além disso, a expectativa é de pouca oscilação do Xangai Composto até a divulgação de novos números do Produto Interno Bruto (PIB) chinês, na próxima semana.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,3%, a 23.238,99 pontos, recuperando-se após a queda de 1,6% registrada da sessão anterior.

Entre bolsas asiáticas menores, o índice sul-coreano Kospi avançou 0,12%, a 2.002,84 pontos, após o Banco Central da Coreia do Sul manter a taxa básica de juros em 2,5%, como esperado, enquanto o Taiex, de Taiwan, ganhou 0,8%, a 9.565,12 pontos, o maior nível em quase sete anos, e o filipino PSEi registrou aumento de 0,48%, a 6.937,21 pontos.

Ontem, o Fed reiterou na ata de sua última reunião de política monetária que o primeiro aumento das taxas de juros nos EUA deverá vir "consideravelmente depois" que seu programa de compra de bônus for encerrado, provavelmente em outubro. Isso contribuiu para o fechamento positivo da maioria dos mercados na Ásia.

No Sudeste Asiático, o destaque foi o mercado de Jacarta após Joko Widodo, candidato favorito dos investidores na Indonésia, ter declarado vitória na disputada eleição presidencial do país. O índice JSX encerrou o dia com alta de 1,5%, a 5.098,01 pontos, alcançando o maior nível desde maio de 2013.

Na Índia, o índice S&P BSE Sensex, da Bolsa de Mumbai, terminou a sessão com perda de 0,3%, a 25.372,75, após chegar a recuar 1,3% durante o pregão. Os investidores no país tiveram reações mistas ao orçamento do novo governo, que tomou posse em maio. Alguns aspectos da proposta desagradaram, mas promessas de incentivo para fundos de investimento em imóveis ajudaram o índice de ações do setor imobiliário a saltar 5%.

Na Oceania, a Bolsa de Sydney também encerrou o dia em alta, em reação à ata do Fed. O índice S&P/ASX 200, das ações mais negociadas na Austrália, subiu 0,2%, a 5.464,40 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.