Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em alta

As bolsas asiáticas encerraram o pregão desta quinta-feira, 13, majoritariamente em alta, apesar de os últimos dados econômicos da China terem vindo abaixo do esperado e reforçado a percepção de que a desaceleração econômica do país continua forte.

MARCELO RIBEIRO SILVA, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agencia Estado

13 de março de 2014 | 09h45

Durante a madrugada, o Escritório de Estatísticas da China anunciou que a produção industrial subiu 8,6% nos dois primeiros meses de 2014 ante o mesmo período do ano passado. Na mesma comparação, os investimentos em ativos fixos não rurais cresceram 17,9% e as vendas no varejo ganharam 11,8%. Os três dados ficaram aquém das previsões dos analistas.

Os números fracos vieram poucos dias após indicadores de comércio exterior mostrarem uma forte desaceleração das exportações. Esse dado pesou sobre os mercados chineses nos pregões de segunda-feira, 10, e de quarta-feira, 12.

No entanto, mesmo com os últimos números decepcionantes no gigante asiático, o índice Xangai Composto avançou 1,07% hoje, a 2.019,11 pontos, enquanto o Shenzhen Composto ganhou 1,46%, a 1.078,35 pontos.

As ações dos fabricantes da aguardente chinesa Baijiu foram determinantes para os ganhos apresentados pela bolsa de Xangai. Os papéis da Shanxi Xinghuacun Fen Wine Factory subiram 6,8%, enquanto os da Wuliangye Yibin, que chegaram a subir mais de 10%, encerraram com alta de 6,4%.

Por outro lado, na Bolsa de Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em baixa de 0,7%, a 21.756,08 pontos. Com isso, o mercado de Hong Kong está próximo de registrar a pior semana em quase dois anos.

As demais bolsas da região avançaram. O índice sul-coreano, Kospi, subiu 0,10%, a 1.934,38 pontos, enquanto o principal índice acionário de Taiwan, o Taiex, ganhou 0,73%, a 8.747,79 pontos. No mesmo sentido, o índice SET, da Tailândia, ganhou 1,04%, a 1.370,50 pontos.

Na região do Pacífico, a Bolsa da Austrália fechou em alta após os dados de emprego do país virem bem melhores do que o esperado. O número de pessoas empregadas subiu 47.300, superando o aumento esperado de 15.000. O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, ganhou 0,53%, a 5.412,61 pontos. Entre os papéis, as mineradoras se destacaram, com a Rio Tinto subindo 2,7% e a Fortescue avançando 3,0%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.