Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em baixa

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira, seguindo a tendência vista ontem na Europa e EUA após o Fundo Monetário Internacional (FMI) ter reduzido suas projeções para o crescimento econômico mundial. Também pesou no sentimento do investidor asiático uma leitura desfavorável do setor de serviços chinês.

SERGIO CALDAS, Estadão Conteúdo

08 de outubro de 2014 | 08h09

Em relatório sobre a perspectiva global, o FMI cortou sua previsão para a expansão mundial em 2015, de 4% para 3,8%, citando fraqueza na zona do euro e uma desaceleração nos mercados emergentes.

Já na China, o índice de gerentes de compras (PMI, em inglês) de serviços medido pelo HSBC decepcionou ao recuar para 53,5 em setembro, 54,1 em agosto, patamar mais elevado em 17 meses. Apesar da queda, a leitura acima de 50,0 continua indicando expansão da atividade.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,7%, a 23.263,33 pontos, apresentando perdas pela primeira vez em quatro sessões. No mercado taiwanês, o Taiex recuou 1,0%, a 8.955,18 pontos, enquanto em Seul, o índice sul-coreano Kospi cedeu 0,39%, a 1.965,25 pontos. Nas Filipinas, o PSEi, das ações mais negociadas na Bolsa de Manila, teve declínio de 0,7%, a 7.185,68 pontos, e em Cingapura, o índice FTSE Straits Times perdeu 0,5%, a 3.226,71 pontos.

Na China continental, os mercados locais retomaram operações hoje após um feriado de uma semana, mas encerraram o dia em alta, apesar do PMI de serviços chinês e impulsionados por ações de imobiliárias após recentes medidas de Pequim para estimular o setor. O índice Xangai Composto subiu 0,8%, a 2.382,79 pontos, atingindo o maior nível desde 20 de fevereiro de 2013, enquanto o Shenzhen Composto, que acompanha empresas menores, avançou 1,4%, a 1.351,82 pontos.

No último dia 30, o Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) decidiu que compradores de um segundo imóvel passariam a ter o mesmo tratamento dispensado a compradores da primeira residência, com acesso a melhores condições de financiamento.

Na Oceania, prevaleceu na bolsa australiana o sentimento negativo que afetou a maioria dos mercados asiáticos. O S&P/ASX 200, que reúne as ações mais negociadas em Sydney, recuou 0,8%, a 5.241,30 pontos, acumulando perdas por três pregões seguidos. No setor minerador, o dia também foi de desvalorização, apesar do avanço de 1,4% visto ontem no preço do minério de ferro, a US$ 80,00 por tonelada: a Rio Tinto caiu 1,6%, a BHP Billiton cedeu 1,2% e a Fortescue também mostrou queda de 1,2%. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.