Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em queda

Investidores aguardam banco central dos EUA, o Fed, que anuncia hoje sua decisão sobre os estímulos à economia

18 de setembro de 2013 | 07h05

Os mercados de ações da Ásia fecharam majoritariamente em queda nesta quarta-feira, uma vez que a cautela dominou os pregões antes da conclusão da reunião de política monetária do Federal Reserve dos EUA.

O Fed encerrará a reunião nesta quarta-feira e muitos investidores creem que o banco central anunciará o início da redução de seu programa de compra de títulos.

A direção da política monetária dos EUA tem permanecido em foco, com os investidores analisando minuciosamente cada grande publicação de dados econômicos em busca de sinais sobre como os resultados podem influenciar o Fed. Nos últimos meses, os temores de uma retirada do estímulo resultaram em uma série de vendas na Ásia, especialmente nos mercados do Sudeste Asiático, como Filipinas.

Contudo, alguns mercados só terão a chance de reagir ao Fed na próxima semana, devido a uma série de feriados que ocorrerão em toda a região. Os mercados financeiros da Coreia do Sul permaneceram fechados nesta quarta-feira e só abrem na segunda-feira que vem. Os mercados na China continental devem ficar fechados na quinta-feira e sexta-feira. Já em Hong Kong, o pregão não abre na sexta-feira.

Nesta quarta-feira, o índice Xangai Composto ganhou 0,3%, para 2.191,85 pontos, e o índice Shenzhen Composto subiu 0,6%, para 1.036,51 pontos, antes do fim de semana prolongado.

As ações do índice Taiwan Weighted fecharam em queda de 0,5%, aos 8.209,18 pontos. Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 caiu 0,3%, para 5.238,10 pontos e, nas Filipinas, o índice PSEi Composto perdeu 0,2%, aos 6.333,96 pontos.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve uma baixa de 0,3%, aos 23.117,45 pontos. Além das preocupações sobre o Fed, as incorporadoras imobiliárias chinesas pesaram sobre o índice Hang Seng, com preocupações de que Pequim pode tentar controlar os preços dos imóveis. Dados oficiais mostraram um crescimento dos preços da habitação na China em agosto.

"Agora que o crescimento econômico se recuperou e parece estar destinado a atingir a meta de 7,5% em 2013, acreditamos que a prioridade do governo pode mudar para conter os riscos financeiros e os preços dos imóveis", disse o economista Zhiwei Zhang, da Nomura. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.