Bolsas asiáticas fecham perto da estabilidade

Os mercados de ações da região da Ásia e do Pacífico fecharam perto da estabilidade nesta quarta-feira, após dados mostrarem um crescimento praticamente em linha com o esperado da economia chinesa no segundo trimestre.

LUCAS HIRATA, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES, Agência Estado

16 de julho de 2014 | 08h57

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 7,5% no segundo trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano anterior, acelerando frente ao crescimento de 7,4% registrado entre

janeiro e março, informou o Escritório Nacional de Estatísticas do país. O número interrompeu uma série de dois trimestres consecutivos de desaceleração na expansão econômica e superou levemente a mediana das previsões de analistas consultados pelo Wall Street Journal, de alta de 7,4%.

Com isso, o índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, ganhou 0,27%, aos 23.523,28 pontos, e o índice Kospi, de Seul, avançou 0,04%, para 2.013,48 pontos. Entre os destaques, o índice JSX Composto, da Indonésia, fechou em alta de 0,99%, aos 5.070,82 pontos, o maior nível em 14 meses, tendo em vista que as eleições no país continuam a dar suporte para a bolsa local.

Na China, o índice Xangai Composto perdeu 0,15%, aos 2.067,28 pontos, depois de um ganho de mais de 1% nas últimas sessões. O índice Shenzhen Composto cedeu 1,03%, aos 1.105,22 pontos.

O índice S&P/ASX 200, de Sydney, encerrou o dia em alta de 0,14%, aos 5.518,90 pontos, com destaque para o setor de mineração. As ações da Rio Tinto avançaram 1,33% após a empresa anunciar que produziu um volume recorde de minério de ferro no primeiro semestre do ano fiscal. Os papéis da Fortescue Metals avançaram mais de 6% depois de dizer que espera embarcar até 29% a mais de minério de ferro para compradores em países como a China nos próximos meses.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsasmercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.