Bolsas asiáticas fecham sem direção única

Bolsas asiáticas fecham sem direção única

Para alguns analistas, os números chineses melhores que o esperado diminuem a pressão para que Pequim continue adotando medidas de estímulos

SERGIO CALDAS, Estadão Conteúdo

21 de outubro de 2014 | 08h33

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, após dados que mostraram a economia chinesa crescendo menos no terceiro trimestre, embora em ritmo um pouco mais forte que o esperado.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China avançou 7,3% no trimestre até setembro ante igual período do ano passado, após crescer 7,5% no segundo trimestre, mostrando a expansão mais fraca desde o início de 2009. O resultado, porém, veio acima da previsão dos analistas, que era de aumento de 7,2%.

Dados do governo também mostraram que a produção industrial da China teve alta anual de 8% em setembro, superando a previsão de ganho de 7,5%, e recuperando-se após mostrar o pior resultado em quase seis meses em agosto.

Para alguns analistas, os números chineses melhores que o esperado diminuem a pressão para que Pequim continue adotando medidas de estímulos. Para outros, no entanto, o dado do PIB sugere que o governo chinês precisa se esforçar mais para atingir sua meta de crescimento para este ano, de 7,5%.

O índice Xangai Composto, o principal da China continental, recuou 0,7%, a 2.339,66 pontos, encerrando a sessão no menor nível desde 23 de setembro. O Shenzhen Composto, que acompanha empresas chinesas menores, caiu 0,8%, a 1.330,77 pontos. Entre as ações, o destaque de baixa foi a operadora móvel China Mobile, que caiu 1,8% após divulgar queda de 9,7% no lucro do período de janeiro a setembro.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve alta marginal de 0,08%, a 23.088,58 pontos, com os investidores acompanhando os desdobramentos do impasse entre manifestantes pró-democracia e o governo do território semiautônomo. Líderes estudantis e autoridades de Hong Kong têm encontro marcado para hoje.

No mercado taiwanês, o Taiex encerrou com pequena queda de 0,1%, a 8.654,64, apesar do balanço trimestral melhor que o esperado da Apple, que tem vários fornecedores em Taiwan. Em Seul, o índice sul-coreano Kospi recuou 0,77%, a 1.915,28 pontos, mas em Manila, o filipino PSEi subiu 0,2%, a 7.068,03 pontos, sustentado pela demanda mais forte por ações baratas, e o FTSE Straits Times, de Cingapura, ganhou 0,68%, a 3.202,74 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana manteve a tendência de valorização das últimas sessões. O S&P/ASX 200, das ações mais negociadas em Sydney, avançou 0,1%, a 5.325,00 pontos, ampliando os ganhos dos últimos seis pregões para 3,3%. O índice australiano, porém, continua 5,9% abaixo do pico atingido no ano. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.