Bolsas asiáticas recuam com preocupações com China

As bolsas asiáticas encerraram o pregão desta quarta-feira em terreno negativo, diante das incertezas econômicas da China e dos Estados Unidos e as tensões políticas na Ucrânia, que mantiveram os investidores preocupados.

MARCELO RIBEIRO SILVA, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agencia Estado

12 de março de 2014 | 08h30

Na China, a queda anual de 18,1% das exportações em fevereiro continua sustentando a especulação de que a economia chinesa pode sofrer uma desaceleração pior do que a esperada. A crise geopolítica na Ucrânia e possíveis sanções contra a Rússia, caso o referendo sobre a integração da Crimeia ao país seja levado adiante, também afetaram o sentimento do investidor.

Além disso, o pessimismo prevaleceu após a queda das bolsas de Nova York no pregão de ontem e diante das expectativas com a reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), marcada para a próxima semana.

Temores de desaceleração econômica na China afetaram as bolsas locais, que ontem haviam mostrado pequenos ganhos. O índice Xangai Composto recuou 0,2%, a 1.997,06 pontos, enquanto o Shenzhen Composto perdeu 0,2%, a 1.062,59 pontos.

"A recuperação das ações na terça-feira não foi suficiente e o mercado ainda está sofrendo reflexos da forte queda das bolsas na segunda-feira. Muitas notícias negativas estão vindo juntas, o que está pressionando o investidor", avaliou Deng Wenyuan, analista da Soochow Securities.

Ainda na China, o crescente risco de crédito e a desvalorização do yuan também contribuem para que o movimento vendedor prevaleça. Entre as ações, as da Baoding Tianwei Electric caíram 5,1%.

Na Bolsa de Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em baixa de 1,65%, a 21.901,95 pontos.

As demais bolsas da região também recuaram. O índice sul-coreano, Kospi, caiu 1,60%, a 1.932,54 pontos, enquanto o principal índice acionário de Taiwan, o Taiex, perdeu 0,20%, a 8.684,73 pontos. No mesmo sentido, o índice SET, da Tailândia, recuou 0,58%, a 1.356,42 pontos.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney se desvalorizou, pressionada por dados de confiança do consumidor australiano e também pelas quedas das bolsas norte-americanas, do cobre e do petróleo. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,6%, a 5.384,20 pontos, o menor nível em sete dias. Apesar do desempenho fraco da bolsa australiana, as ações das mineradoras se recuperaram após um início de semana de perdas seguidas. As ações da Newcrest Mining avançaram 5,2%, enquanto as da Fortescue Metals Group ganharam 2,9%.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.