Wu Hong/EFE
Wu Hong/EFE

Bolsas asiáticas recuperam perdas após declaração do BC chinês

Autoridade monetária da China afirmou ter capacidade de manter o yuan estável e prometeu abrir o mercado de câmbio para investidores estrangeiros

Sérgio Caldas, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2015 | 09h03

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira, 13, recuperando-se de perdas acumuladas nos últimos dias em reação à desvalorização inesperada do yuan no começo da semana, após comentários do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) sobre a estabilidade cambial.

O Xangai Composto, principal índice acionário chinês, subiu 1,8%, encerrando o pregão a 3.954,56 pontos, enquanto o Shenzhen Composto, que tem menor abrangência, avançou 2,2%, a 2.298,79 pontos.

O PBoC declarou ter capacidade de manter o yuan estável e se comprometeu a abrir os mercados de câmbio do país para investidores estrangeiros. Em comunicado, que veio três dias depois da drástica desvalorização do yuan, o PBoC afirmou que a "ampla" reserva de moedas estrangeiras da China, as boas condições fiscais e um sistema financeiro saudável dão grande sustentação para uma taxa de câmbio estável.

Segundo o PboC, não há motivo para esperar que o yuan continue se depreciando e a moeda chinesa poderá logo iniciar uma trajetória de valorização.

Para Li Lei, analista da China Minzu Securities, os comentários do PboC deram segurança aos investidores de que a desvalorização do yuan foi um ajuste único. Além disso, o avanço dos mercados acionários da China também foi garantido por uma forte expectativa de que Pequim implemente reformas nas estatais.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve alta de 0,43%, a 24.018,80 pontos, enquanto na bolsa taiwanesa, o Taiex subiu 0,3%, a 8.311,74 pontos, e o Kospi avançou 0,40% em Seul, a 1.983,46 pontos, depois de o banco central coreano decidir manter sua taxa básica de juros inalterada em 1,5% pelo segundo mês consecutivo.

Em Tóquio, a bolsa fechou em alta, com os investidores começando a acreditar que o yuan chinês mais fraco deve ter um impacto limitado no setor corporativo do Japão. O índice Nikkei subiu 202,78 pontos (0,99%), para 20.595,55 pontos, após um recuo de 327,98 pontos na quarta-feira. As ações de algumas varejistas japonesas com grande exposição aos turistas chineses retomaram sua força 

Na Oceania, a bolsa australiana também fechou em tom positivo, sustentada por ações de mineradoras e bancos. O S&P/ASX 200, índice que reúne as empresas mais negociadas em Sydney, teve ganho de 0,1%, a 5.387,90 pontos, após chegar a subir até 0,8% ao longo do pregão. No setor minerador, destacaram-se BHP Billiton e Rio Tinto, que avançaram 1,2% e 0,6%, respectivamente, depois de caírem 4,3% e 5,4% na sessão de ontem.

Moedas. As moedas asiáticas e do Pacífico, que atingiram mínimas em vários anos nas últimas sessões na esteira do yuan desvalorizado, também se recuperaram hoje. Foi o caso do ringgit malaio, que subiu 0,4% a 4,0210 ringgits por dólar, da rupia da Indonésia, que avançou 0,3%, a 13.744 rupias por dólar, e dos dólares neozelandês e de Taiwan, que tiveram alta de 0,5%, cada, frente à divisa norte-americana. O won sul-coreano, uma das moedas mais afetadas recentemente, ficou praticamente estável, a 1.172,90 wons por dólar. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaBolsa de Valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.