Bolsas asiáticas se recuperam; HK sobe 2,1%

Depois de começar a semana com fortes baixas, a maior parte das bolsas da Ásia se recuperou hoje. Em Hong Kong, os ganhos dos bancos chineses levaram o índice Hang Seng a fechar em alta de 2,1%, aos 19.058,56 pontos, após a queda de 4% na sessão anterior. Um dos motivos da recuperação foi o resultado acima do esperado do banco HSBC em 2006. O papel do banco valorizou-se 2,6%. As ações tipo H - que referem-se aos papéis de companhias chinesas negociadas na Bolsa de Hong Kong - de bancos estatais também explicam a alta do índice. Entre as ações listadas nessa categoria, Bank of Communications saltou 6,1%; Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, na sigla em inglês) ganhou 5,3%; China Construction Bank subiu 4% e Bank of China fechou em alta de 2%. Na Bolsa de Taipei, em Taiwan, o índice Taiwan Weighted fechou com alta de 1,5%, aos 7.451,06 pontos. Os setores de turismo e de construção civil, que haviam sofrido as maiores baixas no pregão anterior, lideraram os ganhos desta terça-feira, puxados pela demanda dos compradores de ações baratas. Ambassador Hotel subiu 3,9% e Kindom Construction atingiu o limite diário de valorização, de 7%. Os investidores também apostaram no setor de chips de memória, na expectativa de que a demanda por esses componentes aumente no segundo semestre, graças às vendas do software Windows Vista, da Microsoft. Powerchip Semiconductor teve alta de 2% e ProMOS Technologies, de 2,1%. Em Seul, a bolsa sul-coreana também foi impulsionada pela pesada movimentação dos investidores em busca de ações baratas, que procuraram principalmente os papéis da siderúrgica Posco e de empresas de tecnologia. O índice Kospi fechou com alta de 2%, aos 1.402,93 pontos. As ações da Posco dispararam, com elevação de 5,1%. Segundo um analista, hoje os investidores estiveram mais focados na recuperação do preço do aço no mercado ?spot?. LG Electronics, outro destaque do dia, avançou 3,7%. Na Austrália, o principal estímulo para a alta da Bolsa de Sydney veio das aquisições para cobertura de posições vendidas, além de algumas compras institucionais. O índice S&P/ASX 200 encerrou com um ganho de 2,1%, aos 5.771,80 pontos. As ações da BHP Billiton subiram 2,7%, apesar da queda de 2,1% na cotação do cobre na Bolsa de Metais de Londres. Procura por boas ofertas também conduziram a Bolsa de Jacarta, na Indonésia, à alta. O índice JSX Composto fechou em alta de 2%, aos 1.732,43 pontos. Além da recuperação nos demais mercados asiáticos, o otimismo também se deveu a notícias de que o banco central indonésio deve cortar a taxa de juros, o que reduziria as dívidas de muitas companhias e elevaria a margem de lucro dos bancos. A peso-pesado Telkom subiu 2,8%; Bank Mandiri teve alta de 2,2% e BBCA ganhou 2,6%. O índice composto de 100 blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur (Malásia) fechou em alta de 1,82%, aos 1.130,96 pontos. O Strait Times, da Bolsa de Cingapura, também fechou em alta de 1,82%, aos 3.036,52 pontos. Contrariando a tendência dos mercados da região, a Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou em queda, ainda sob o temor de uma recessão mundial. O índice PSE Composto declinou 0,8%, aos 2.973,27 pontos, e agora acumula uma perda de 6,8% nos últimos três pregões. Mas o pânico dos investidores já se afastou e uma estabilização do mercado é esperada para amanhã. Philippine Long Distance Telephone (PLDT) baixou 0,2%, Megaworld perdeu 1,9%, Ayala Corp. caiu 4,6% e SM Investments, 3,7%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.