Bolsas atingiram nível 'perigoso'

As bolsas de valores mundiais, inclusive a brasileira, chegaram a um nível considerado "perigoso" por muitos analistas. Segundo esse argumento, as fortes altas das últimas semanas tornaram inevitável uma realização de lucros em algum momento. A questão é saber quando e em que intensidade esse ajuste se dará. "É impossível prever", disse o economista-chefe da UpTrend Consultoria, Jason Vieira. Na sexta-feira, o Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) fechou em nível recorde pela oitava vez em abril. O Índice Dow Jones, o mais importante da Bolsa de Nova York, também alcançou nível histórico de pontuação. A tendência para esta semana, segundo Vieira, ainda é positiva, principalmente porque "há poucos indicadores com potencial de mexer com os mercados". Nos Estados Unidos, são dois os destaques da agenda. O primeiro é o Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que sai na quarta-feira. Trata-se de um sumário sobre as condições da economia do país, cuja principal função é guiar o Fed em suas decisões sobre o rumo da taxa básica de juros. Outro dado importante é o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) relativo ao primeiro trimestre, que sai na sexta-feira. No Brasil, os investidores estarão atentos ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de abril, que sai quarta-feira, e à ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na quinta-feira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.