Bolsas caem em NY após dado de vendas no varejo

Os mercados de ações dos EUA operam em queda moderada. Os fortes números das vendas no varejo em agosto reativaram os temores de inflação, contrabalançando o impacto positivo dos resultados acima do esperado do banco de investimento Bear Stearns, segundo o site do jornal britânico Financial Times. Às 13h20 (de Brasília), o S&P 500 recuava 0,24% para 1.314 pontos, o Nasdaq caía 0,05% para 2.226 pontos e o Dow Jones estava em baixa de 0,24%, em 11.515 pontos. As vendas no varejo subiram inesperadamente 0,2% em agosto, ante a expectativa dos analistas de queda de 0,2%. Isso fez os investidores temerem que aumente a probabilidade de nova elevação nas taxas de juro do país. O banco de investimentos Bear Stearns superou as estimativas dos analistas ao informar aumento de 16% no lucro no terceiro trimestre para US$ 437,6 milhões. As ações do banco estavam em alta de 0,30% em US$ 136,63. A ação da Ford caía 2,18% para US$ 8,99, com as notícias de que a companhia poderá registrar prejuízo pré-impostos de US$ 8 bilhões este ano. As ações de General Electric recuavam 0,69% para US$ 34,60, depois que o UBS cortou sua recomendação de "compra" para "neutra". O UBS também diminuiu a recomendação para a Boeing, de "neutra" para "reduzir", e as ações da empresa estão em queda de 1,26%, em US$ 75,36. Petróleo O petróleo segue em queda na Bolsa Mercantil de Nova York, com o contrato para outubro em baixa de 0,42%, em US$ 63,70. O anúncio de que os estoques de gás natural cresceram mais do que o esperado na semana passada, projetando o preço do contrato futuro do gás ao menor nível desde 2004, ajuda a manter o petróleo em baixa.

Agencia Estado,

14 de setembro de 2006 | 13h42

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.