Bolsas caem em NY com realização de lucros e Iraque

As bolsas de Nova York fecharam em queda nesta terça-feira, 24, com um movimento de realização de lucros após recordes recentes e o aumento dos temores sobre a crise no Iraque.

Agência Estado

24 de junho de 2014 | 18h01

O Dow Jones fechou em baixa de 119,13 pontos (0,70%), aos 16.818,13 pontos. O S&P 500 recuou 12,63 pontos (0,64%), para 1.949,98 pontos. O Nasdaq encerrou com perdas de 18,32 pontos (0,42%), aos 4.350,36 pontos.

Mais cedo, o S&P chegou a bater na máxima histórica intraday de 1.968,18 pontos, antes de migrar para o terreno negativo. Energia e indústria foram os setores mais pressionados, enquanto serviços e saúde tiveram desempenho melhor.

O codiretor de negociação de ações da corretora Themis Trading, Joe Saluzzi, disse que não há nenhum fator em particular totalmente responsável pela onda de vendas. "O mercado estava pronto para uma retração, e às vezes você não precisa de uma desculpa", disse Saluzzi. "Os volumes estão baixos, por isso não é preciso muito para movimentar o mercado."

Alguns operadores apontaram a notícia de que aviões de guerra sírios atacaram alvos no oeste do Iraque, matando pelo menos 50 pessoas, como a causa do enfraquecimento dos papéis. Mas outros observadores do mercado assinalaram que o fato de os preços de petróleo em NY não terem subido após a notícia sugere que o impacto da notícia pode ter sido limitado.

Os ganhos iniciais nos mercados de ações tinham sido sustentados por dados econômicos positivos dos Estados Unidos. As vendas de moradias novas nos EUA subiram para 504 mil em maio, o maior avanço em seis anos, e bem acima da expectativa do mercado (435 mil). Enquanto isso, o índice de confiança do consumidor norte-americano medido pelo Conference Board avançou para 85,2 em junho, acima das previsões de economistas, de 83,5.

No noticiário corporativo, a Micron Technology subiu 3,97% depois que a empresa de semicondutores reportou na noite de ontem lucro ajustado e receita maiores do que o previsto no terceiro trimestre fiscal, embora as vendas de produtos de chips de memória tenham caído. Os papéis da Micron já avançaram 51% no ano.

A Walgreen perdeu 1,70% após a rede de farmácias informar lucro ajustado abaixo da expectativa no terceiro trimestre fiscal, enquanto as vendas em mesmas lojas subiram menos do que o projetado. A Vertex Pharmaceuticals ganhou 40,41% depois que a empresa informou que a fase final de testes de um tratamento para fibrose cística atingiu os resultados esperados. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas de Valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.