Bolsas da Ásia caem após recuo no PMI de serviços chinês

As bolsas chinesas fecharam em queda nesta quarta-feira, pela primeira vez em sete sessões, após mais um sinal de desaceleração do crescimento da China. O índice dos gerentes de compras (PMI) do setor de serviços, medido pelo HSBC, recuou para 52,9 em outubro, de 53,5 em setembro, o segundo mês consecutivo de deterioração no indicador de atividade do setor.

LEDA SAMARA, Estadão Conteúdo

05 de novembro de 2014 | 08h01

O índice Xangai Composto encerrou em queda de 0,5%, aos 2.419,25 pontos, após acumular 6% de ganhos nas últimas seis sessões. O volume negociado caiu para 201,9 bilhões de yuans (US$ 33 bilhões). O índice Shenzhen recuou 0,1%, para 1.353,12 pontos.

Para o analista da Sinolink Securities Huang Cendong, o mercado também não deve ter mais impulsos positivos nos próximos dois meses, pois os investidores tendem a travar lucros no final do ano. Cendong estima que o índice Xangai deve flutuar entre 2.250 e 2.450 pontos nos dois últimos meses do ano.

As quedas se reproduziram na maioria das bolsas asiáticas. No mercado taiwanês, o índice Taiex recuou 0,3%, para 8.962,60 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng cedeu 0,63%, a 23.695,62 pontos. O índice sul-coreano perdeu 0,19%, para 1.931,43 pontos e o filipino PSEi recuou 0,18%, para 7.208,81 pontos, enquanto o FTSE Straits Times, de Cingapura, subiu 0,18%, encerrando a sessão a 3.287,54 pontos. Na Oceania, o principal índice do mercado australiano, o S&P/ASX 200, recuou 0,04%, para 5.517,90 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
ÁsiaBolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.