Bolsas da Ásia fecham com sinais opostos

Mercados se dividiram entre a influência positiva dos ganhos de ontem em Wall Street e as realizações de lucros que se seguiram à forte alta dos pregões recentes

Hélio Barboza e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

27 de julho de 2010 | 07h52

As bolsas da Ásia fecharam com sinais diferentes nesta terça-feira, entre a influência positiva dos ganhos de ontem em Wall Street e as realizações de lucros que se seguiram à forte alta dos pregões recentes.

A Bolsa de Tóquio fechou com ligeira baixa, já que as perdas com ações de siderúrgicas como a JFE Holdings acabaram anulando o efeito da alta nos papéis dos bancos, provocada pela expectativa de uma suavização nas regras do sistema financeiro global. O índice Nikkei 225 oscilou para cima e para baixo do nível de equilíbrio, sem definir uma direção, até fechar em queda de 6,81 pontos, ou 0,1%, terminando aos 9.496,85 pontos.

Na Bolsa de Hong Kong, as ações do setor financeiro puxaram a alta de 0,6% no índice Hang Seng, que fechou aos 20.973,39 pontos.

Na China, a realização de lucros em pesos pesados dos setores bancário e de aviação determinou a queda de 0,5% no índice Xangai Composto, que fechou aos 2.575,37 pontos, e de 0,1% no Shenzhen Composto, que terminou aos 1.049,44 pontos.

No mercado de câmbio, o yuan subiu ligeiramente em relação ao dólar. A moeda norte-americana fechou cotada em 6,7786 yuans, de 6,7795 yuans no fechamento de segunda-feira. A paridade central foi fixada em 6,7742 yuans por dólar, de 6,7778 yuans por dólar na véspera.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou em baixa, com realização de lucros. O índice Taiwan Weighted caiu 0,5% e fechou aos 7.748,01 pontos.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, fechou praticamente estável, em dia fraco de notícias e marcado pela realização de lucros por investidores institucionais, que contrabalançaram as compras fortes de estrangeiros do início da sessão. O índice Kospi caiu apenas 0,04% e terminou aos 1.768,31 pontos.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou em alta, influenciada pelos bons resultados das bolsas norte-americanas e pelo balanço positivo da FedEx. O índice S&P/ASX 200 subiu 0,3% e encerrou aos 4.497,4 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou em alta, sob influência de Wall Street. O índice PSE subiu 0,7% e terminou aos 3.436,59 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve alta, seguindo os ganhos em Wall Street depois de vários fortes resultados corporativos que impulsionaram a confiança do investidor. O índice Straits Times avançou 0,4% e fechou aos 2.979,38 pontos, mas abaixo do importante nível psicológico dos 3.000 pontos, uma vez que os investidores temem que o recente rali possa estar exagerado.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 0,6% e fechou aos 3.041,67 pontos, levado por compras de papeis de bancos, indústrias de produtos para consumo e relacionados ao petróleo na expectativa de fortes lucros no primeiro semestre.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, ganhou 1,6% e fechou aos 853,68, maior alta em 26 meses, com os papeis de bancos subindo devido às perspectivas positivas, enquanto os de energia tiveram alta depois de recentes performances abaixo da média do mercado.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,03%, fechando aos 1.352,23 pontos, em forte consolidação depois de recentes ganhos, com realizações de lucros. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.