Bolsas da Ásia fecham em elevação; Xangai sobe 1,8%

Bom desempenho de Wall Street e notícias positivas vindas da China estimularam a participação dos investidores

Hélio Barboza, Ricardo Criez e Roberto Carlos , da Agência Estado,

19 de janeiro de 2011 | 07h44

A maioria dos mercados asiáticos fechou em alta nesta quarta-feira, 19. O bom desempenho de Wall Street e boas notícias vindas da China estimularam a participação dos investidores. A Bolsa de Tóquio fechou em alta, graças aos ganhos iniciais das ações tecnológicas depois dos números estelares apresentados pela Apple e pela IBM. A cotação mais firme do euro impulsionou as ações de exportadoras específicas. O índice Nikkei 225 subiu 38,12 pontos, ou 0,4%, e fechou aos 10.557,10 pontos.

O sólido desempenho do índice Dow Jones da Bolsa de Nova York na terça-feira também serviu de estímulo para toda a bolsa japonesa. Os resultados da Apple ajudaram a consolar o mercado depois do anúncio de que o CEO da companhia, Steve Jobs, vai tirar licença médica, disse Hideyuki Ishiguro, supervisor de estratégia de investimentos da Okasan Securities.

A Bolsa de Hong Kong fechou no campo positivo, liderada pelas petrolíferas chinesas, após a International Energy Agency revisar as previsões da demanda mundial por petróleo, e pelos estaleiros, depois de a peso pesado Hutchison Whampoa anunciar planos de expansão em Cingapura. O Hang Seng ganhou 265,64 pontos, ou 1,1%, e terminou aos 24.419,62 pontos.

As Bolsas da China apresentaram fortes elevações, sustentadas por notícia pela qual houve redução da inflação no mês passado e por reportagem sobre a possibilidade de empresas chinesas participarem de projeto de trem de alta velocidade nos Estados Unidos. O Xangai Composto avançou 1,8% e terminou aos 2.758,10 pontos. O Shenzhen Composto disparou 2,4% e encerrou aos 1.211,64 pontos.

O yuan atingiu nova valorização recorde em relação ao dólar, com a nova baixa recorde na taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,5891 yuans para 6,5885 yuans), com a visita de quatro dias do presidente Hu Jintao aos EUA. No mercado de balcão, a cotação de compra e venda do dólar era de 6,5824 yuans, abaixo do fechamento de terça-feira, que foi de 6,5929 yuans.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou na maior pontuação desde maio de 2008, impulsionada pelos ganhos em Wall Street e pela força dos mercados regionais. O índice Taiwan Weighted avançou 1,09%, aos 9.086,02 pontos. O índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, avançou 0,92% e fechou aos 2.115,69 pontos.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, neutralizou o desapontamento inicial com os dados sobre o sentimento do consumidor do país, divulgados nesta quarta-feira, graças ao desempenho das bolsas estrangeiras e ao relatório de produção da mineradora Wesfarmers. O índice S&P/ASX 200 fechou em alta de 0,7%, aos 4.834,6 pontos.

Já a Bolsa de Manila, nas Filipinas, estendeu as recentes perdas e fechou em baixa, com os investidores continuando a realizar lucros. O índice PSE retrocedeu 0,81%, aos 4.039,56 pontos.As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsiaAppleIBMWall Street

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.