Bolsas da Ásia fecham sem sinal definido

Hong Kong avançou 0,7%, enquanto na Coreia do Sul Seul caiu 1,9% 

Hélio Barboza, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

19 de maio de 2011 | 07h17

Os mercados da Ásia fecharam sem tendência definida, influenciados por fatores locais. A Bolsa de Hong Kong fechou em elevação pelo segundo pregão seguido, no embalo da alta em Wall Street e liderada pela China Unicon, por conta das fortes vendas antecipadas de seu novo smartphone. O índice Hang Seng subiu 152,24 pontos, ou 0,7%, e terminou aos 23.163,38 pontos.

Já as Bolsas da China encerraram em queda, com o mercado alimentado por preocupações de que a economia chinesa pode estar reduzindo seu crescimento, enquanto a inflação segue em elevação. O índice Xangai Composto caiu 0,5% e fechou aos 2.859,57 pontos. O índice Shenzhen Composto perdeu 0,4% e terminou aos 1.197,31 pontos.

O yuan teve pouca variação em relação ao dólar, com a demanda por parte dos importadores ofuscando a venda da moeda norte-americana. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,5039 yuans, de 6,5047 yuans do fechamento de quarta-feira. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,5048 yuans, de 6,5074 yuans ontem.

Em Taiwan, o Índice Taiwan Weighted da Bolsa de Taipé encerrou o dia em baixa de 0,68%, terminando aos 8.892,88 pontos, após subir 0,90% durante a sessão.

Na Coreia do Sul, os investidores estenderam pelo sexto pregão consecutivo a onda de venda de ações e o índice Kospi da Bolsa de Seul caiu 1,9%, fechando aos 2.095,51 pontos.

Na Austrália, o setor de matérias-primas liderou uma recuperação da Bolsa de Sydney depois da alta dos preços das commodities. O índice S&P/ASX 200 avançou 1,3%, maior elevação em quatro semanas, e fechou aos 4.756,4 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou em leve baixa, com a realização de lucros nas principais blue chips pesando no resultado final. O índice PSE caiu 0,13% e terminou aos 4.297,93 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou em alta, uma vez que os investidores festejaram a elevação das perspectivas econômicas da cidade-Estado para 2011 (a previsão de alta do PIB deste ano foi revista de 4% a 6% para 5% a 7%) e sinais de que o Federal Reserve dos EUA não deverá subir a taxa de juros tão logo. Ganhos nos mercados europeus também deram ânimo à bolsa local à tarde. O índice Straits Times avançou 1% e fechou aos 3.172,56 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, ganhou 0,5% e fechou aos 3.859,81 pontos, com investidores estrangeiros avançando sobre papeis de bancos e de empresas relacionadas a produtos de consumo na expectativa de números favoráveis da inflação de maio e altos pagamentos de dividendos.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, valorizou 0,2% e fechou aos 1.077,50 pontos, em negociações morosas, com investidores cautelosos ante as eleições gerais de 3 de julho, além de incertezas quanto à direção dos preços globais do petróleo nos próximos dias.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,2% e fechou aos 1.544,02 pontos, com as ações referentes ao setor agrícola liderando os ganhos devido aos fortes lucros e perspectivas de preços para o óleo de palma cru. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.