Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bolsas da Ásia fecham sem sinal definido; HK cai 0,74%

Decisão da China de aumentar a taxa de reserva bancária teve reações diferentes nos mercados da região

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

18 de abril de 2011 | 08h14

As Bolsas da Ásia voltaram a fechar com resultados mistos nesta segunda-feira. A decisão da China de aumentar a taxa de reserva bancária teve reações diferentes nos mercados da região.

A Bolsa de Hong Kong sofreu com a medida adotada por Pequim, com queda nas imobiliárias e bancos chineses. O índice Hang Seng caiu 177,76 pontos, ou 0,74%, e encerrou aos 23.830,31.

Já a Bolsa de Xangai, na China, apresentou elevação, ao maior nível em cinco meses, à medida que a decisão do Banco Central local já havia sido precificada pelos investidores. O índice Xangai Composto subiu 0,2% e fechou aos 3.057,33 pontos, o maior fechamento desde 11 de novembro. Por sua vez, o índice Shenzhen Composto fechou estável, aos 1.281,99 pontos.

O yuan se valorizou sobre o dólar, com as expectativas de que Pequim irá deixar o câmbio subir nos próximos meses, como estratégia para conter a inflação. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,5287 yuans, de 6,5325 yuans do fechamento de sexta-feira. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,5310 yuans, de 6,5301 yuans de sexta-feira.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou praticamente estável, revertendo um ganho de 0,5% registrado no início da sessão. O índice Taiwan Weighted caiu apenas 0,04 pontos, aos 8.714,48 pontos.

Tóquio

A Bolsa de Tóquio encerrou o dia no negativo e após operar com baixo volume, diante de um iene mais firme e das preocupações dos investidores com balanços que puxaram para baixo ações de exportadoras como Sony e TDK.

O índice Nikkei 225 caiu 0,36% e fechou aos 9.556,65 pontos, após o recuo de 0,65 pontos registrado na sexta-feira. O volume caiu para apenas 1,65 bilhão de ações, o menor giro desde 26 de janeiro.

Desde a abertura, o pregão oscilou entre altas e baixas. O iene forte, combinado com o decisão da China de aumentar a parcela que os bancos devem manter como reserva (compulsório bancário), atingiu as empresas exportadoras.

Os papéis da TDK retrocederam 3,7%, enquanto os da Sony sofreram perda de 1,4%. As ações da fabricante de máquinas de construção Komatsu - que tem forte atuação na China - fecharam em baixa de 1,2%.

Tokyo Electric Power (Tepco) começou o dia forte, mas logo arrefeceu depois que a empresa anunciou planos de até nove meses para controlar a crise nuclear provocada pelo acidente na Fukushima Daiichi. Acabou fechando com perda de 0,4%. Os investidores também continuam a evitar riscos, à espera de balanços das grandes empresas japonesas após o terremoto seguido de tsunami ocorrido em 11 de março.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi, da Bolsa de Seul, ficou novamente estável, aos 2.137,72 pontos.

A Austrália fechou em ligeira alta, por conta da alta nos bancos e em algumas empresas peso pesado. O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, ganhou 0,2%, e fechou aos 4.861,9 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou em alta, influenciada pelos bons resultados dos EUA na sexta-feira. O índice PSE avançou 0,4% e encerrou aos 4.269,19 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve ligeira baixa com fracos negócios, com os investidores aparentemente preferindo esperar os anúncios de resultados das corporações na próximas semanas. Perdas nos mercados europeus pesaram na bolsa local à tarde. O índice Straits Times recuou 0,3% e fechou aos 3.144,38 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 01,% e fechou aos 3.727,07 pontos, com vendas de papeis de bancos e mineradoras mantendo o índice no território negativo. "Baixas nos mercados asiáticos e a desvalorização da rupia inspiraram os investidores a realizar lucros", disse um trader.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, subiu 0,5% e fechou aos 1.090,67 pontos, com a alta, contudo, limitada por vendas de papeis selecionado seguindo fortes ganhos recentes, incluindo de bancos, antes da divulgação dos balanços do primeiro trimestre nesta semana.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,4% e fechou aos 1.527,92 pontos, com o sentimento positivo após a coalizão governista Barisan vencer as eleições no Estado de Sarawak. Papeis de construtoras lideraram o ganhos na expectativa de mais contratos, mas ações de companhias agrícolas caíram com a fraca perspectiva para o óleo de palma cru. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.