Bolsas da Ásia iniciam semana em alta

Avanço das commodities de petróleo e metais influenciaram os negócios

Hélio Barboza, Ricardo Criez e Robert Carlos dos Santos, da Agência Estado,

25 de outubro de 2010 | 08h20

Os mercados asiáticos apresentaram números positivos nesta segunda-feira. A alta das commodities de petróleo e metais estiveram entre os fatores que influenciaram os investidores. Não houve negociações nas Filipinas e na Tailândia por ser feriado.

A Bolsa de Tóquio encerrou o pregão em baixa, pois a persistente valorização do iene diante do dólar apagou a confiança nas exportadoras, como Toyota e Canon, e anulou o impacto do salto dos papéis da KDDI que seguiu ao seu anúncio de um grande plano de recompra de ações. O índice Nikkei 225 baixou 25,55 pontos, ou 0,3%, e fechou aos 9.401,16 pontos.

A Bolsa de Hong Kong apresentou alta moderada, liderada pelas empresas de carvão, após Yanzhou Coal anunciar fortes resultados no terceiro trimestre, e as petrolíferas, devido à alta dos preços do petróleo. O índice Hang Seng subiu 110,37 pontos, ou 0,5% e terminou aos 23.627,91 pontos.

Já as Bolsas da China tiveram forte elevação por conta da disparada de 30% no volume de negociações em relação a sexta-feira, o que fez os investidores comprarem ações de corretoras e de empresas de metais. O índice Xangai Composto avançou 2,6% e terminou aos 3.051,42 pontos. O índice Shenzhen Composto ganhou 3% e encerrou aos 1.299,83 pontos.

O yuan caiu ligeiramente ante o dólar depois de o banco central chinês conduzir a moeda para baixo e o dólar recuperar-se ante as maiores moedas. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,6581 yuans, de 6,6567 yuans do fechamento de ontem.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou com forte valorização, provocada por pesos pesados das indústrias petroquímicas e de informática. O índice Taiwan Weighted subiu 1,7% e fechou aos 8.306,98 pontos.

Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul fechou na maior pontuação do ano, influenciada pelos robustos fluxos de investidores estrangeiros. O índice Kospi avançou 1% e atingiu 1.915,71 pontos.

Na Austrália, o mercado passou por uma onda de ofertas de compra de empresas depois que a Bolsa de Cingapura apresentou uma proposta de 8,4 bilhões de dólares australianos pela operadora da Bolsa de Sydney. A oferta chamou a atenção para o valor do setor de serviços financeiros australiano, enquanto o setor minerador foi apoiado pelo lançamento de uma oferta da Equinox Minerals pelo Citadel Resource Group, por 1,25 bilhão de dólares australianos. O índice S&P/ASX 200 teve alta de 1,3% e fechou aos 4.710,00 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou em alta seguindo os mercados regionais depois de o encontro do fim de semana dos ministros do G-20 não esboçar passos claros para deter a alta das moedas dos países emergentes. O índice Straits Times avançou 0,3% e fechou aos 3.182,08 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 1,3% e fechou aos 3.643,49 pontos, liderado por compras de estrangeiros na maioria de papeis do setor automotivo, bancários e ações relacionadas a commodities na expectativa de fortes lucros no apurado em nove meses.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,1% e fechou aos 1.491,44 pontos, ajudada por ganhos nos mercados regionais e expectativa com as próximas eleições no país. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.