Bolsas da Europa caem antes de reuniões de premiê grego com líderes

Chanceler alemã, no entanto, aguarda o relatório de credores internacionais antes de tomar qualquer decisão

Sergio Caldas, da Agência Estado,

22 de agosto de 2012 | 14h09

As bolsas europeias fecharam em forte baixa nesta quarta-feira, com os investidores embolsando ganhos recentes antes das reuniões do primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, com os líderes da Alemanha e França. O índice Stoxx Europe 600 caiu 1,21%, a maior perda em uma única sessão desde o começo do mês, encerrando o dia aos 269,70 pontos.

Antes de encontrar a chanceler alemã, Angela Merkel, na sexta-feira, e o presidente da França, François Hollande, no sábado, Samaras reuniu-se hoje em Atenas com Jean-Claude Juncker, presidente do Eurogrupo, que reúne os ministros das Finanças da zona do euro.

Mais cedo, Merkel descartou as chances de fechar um acordo final sobre o pacote de resgate da Grécia no encontro que terá com Samaras depois de amanhã. Segundo a chanceler, a Alemanha aguarda o relatório da troica de credores internacionais da Grécia - que inclui a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional - antes de tomar qualquer decisão. "Não teremos uma solução na sexta-feira", disse Merkel, durante visita a Moldova. Em coletiva de imprensa esta tarde, Juncker também disse aguardar a avaliação da troica sobre a Grécia.

De acordo com fontes, o governo grego tem uma proposta para estender em dois anos o prazo para que Atenas cumpra as metas de déficit sem exigir que os parceiros da zona do euro peçam mais dinheiro a seus parlamentos. Samaras já teria apresentado a proposta - que permitiria à Grécia implementar cortes orçamentários até 2016, em vez de até 2014 - a Juncker e voltará a fazê-lo nos encontros com Merkel e Hollande.

Em Londres, o índice FTSE 100 recuou 1,42%, a 5.774,20 pontos. As mineradoras voltaram a fazer pressão, com Kazakhmys perdendo 4,2% depois de ter sua recomendação rebaixada, BHP Billiton cedendo 1,7% após afirmar que não aprovará nenhum grande projeto novo até pelo menos meados do ano que vem e Evraz registrando queda de 3,9%. "A decisão (da BHP) de suspender cerca de US$ 50 bilhões em possíveis projetos depois de ver sua receita mostrar uma queda de mais de 50% fez as ações de mineração caírem com força", disse Michael Hewson, da CMC Markets.

O índice CAC-40, de Paris, fechou na mínima do dia, aos 3.461,65 pontos, 1,47% abaixo do nível de ontem. Com a bolsa francesa acumulando ganhos de 8,7% desde o começo do ano, os investidores aproveitaram para realizar lucro, segundo um trader. Entre as empresas que registraram as perdas mais pesadas ficaram Schneider Electric (-3,1%) e Essilor (-2,7%).

Em Madri, o índice Ibex-35 registrou a maior queda desta quarta, de 2,70%, terminando a sessão aos 7.340,70 pontos. As blue chips ajudaram a arrastar a bolsa espanhola para baixo, com os bancos BBVA, Santander recuando 2,8% e a Telefónica caindo 3,1%, respectivamente.

O índice FTSE Mib, de Milão, perdeu 1,10%, fechando a 15.161,18 pontos. Prysmian e Banca Monte dei Paschi di Siena apagaram parte dos ganhos recentes e lideram as quedas, com declínios de 2,19% e 2,18%, respectivamente. Telecom Italia, Atlantia e Enel, por sua vez, tiveram perdas idênticas de 1,6%. A Fiat, por outro lado, se manteve em território positivo pelo segundo pregão consecutivo e avançou 2%, sustentada pelas fortes vendas de veículos no Brasil.

Em Frankfurt, o índice Dax caiu 1,01%, a 7.017,75 pontos. Entre os destaques de baixa na Alemanha figuraram Fresenius (-2,9%), Adidas (-2,2%) e SAP (-1,7%). Já o índice PSI-20, de Lisboa, encerrou a sessão praticamente estável, com uma ligeira queda de 0,10%, a 4.964,90 pontos, a máxima do dia. Entre bolsas de menor peso, a de Atenas caiu 0,5%, com o índice ASE a 639,57 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.