Bolsas da Europa caem com baixa do preço do petróleo

As principais bolsas européias fecharam em queda, com os mercados reagindo à nova queda dos preços do petróleo, à baixa dos preços dos metais e ao noticiário sobre fusões e aquisições, além de recomendações de analistas sobre ações específicas. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 20,7 pontos, ou 0,35%, em 5.937,1 pontos. No setor de petróleo, as ações da BP caíram 2,40%, depois de rebaixamento de recomendação pelo Societé Générale; as da Cairn Energy recuaram 2,44% e as da Shell perderam 1,26%. As ações da maioria das mineradoras caíram em reação à baixa dos preços dos metais: Anglo American recuou 2,57%, Antofagasta perdeu 3,34%, BHP Billiton teve baixa de 2,56% e Rio Tinto registrou desvalorização de 3,46%. As da Xstrata, porém, subiram 2,18%, depois de a empresa anunciar que emitirá US$ 5,5 bilhões em novas ações, para financiar a compra da canadense Falconbridge; os investidores temiam que a empresa fosse levantar com a venda de novas ações a totalidade dos US$ 7 bilhões necessários para a aquisição. As ações da rede de supermercados Tesco subiram 2,12%, em reação a seu informe de resultados. No setor de telecomunicações, as ações da Vodafone subiram 1,24%, em reação ao anúncio da venda das operações de telefonia fixa e banda larga da subsidiária francesa da Tele2, da Suécia, para a SFR, na qual a Vodafone tem participação minoritária. No setor de jogos e apostas via internet, as ações da PartyGaming caíram 9,44%; elas haviam despencada 56,54% ontem, depois de o Congresso dos EUA aprovar legislação contra jogos via internet. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, encerrou em baixa de 23,34 pontos, ou 0,45%, em 5.219,79 pontos. Segundo operadores, o mercado fez uma pausa para tomar fôlego, depois das altas recentes. Eles disseram também que os volumes foram relativamente reduzidos. As ações da Renault caíram 3,49%, em reação ao fraco informe de vendas de carros novos na França em setembro e a um rebaixamento de recomendação pelo Crédit Suisse; as da Peugeot-Citroën, com recomendação rebaixada pelo UBS, recuaram 0,70%. As da Total, do setor de petróleo, tiveram decréscimo de 1,36%, em reação à queda dos preços do petróleo e ao rebaixamento de recomendação pelo Societé Générale. No setor de utilidades públicas, as ações da Gaz de France subiram 0,83% e as da Suez cederam 0,20%, em meio à expectativa de que o Parlamento francês aprove a privatização da Gaz de France, que abriria o caminho para a fusão da empresa com a Suez. No setor de telecomunicações, as ações da Vivendi ganharam 0,25%, em reação à aquisição da unidade de telefonia fixa e banda larga da Tele2 para a SFR (na qual a Vivendi é acionista majoritária). No setor de tecnologia aeroespacial, as ações da EADS avançaram 1,12%, em reação a informes de que o programa de redução de custos da divisão Airbus será mais agressivo do que se previa. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt fechou com o índice Xetra-DAX em baixa de 7,24 pontos, ou 0,12%, em 5.992,22 pontos. Os volumes foram reduzidos, por causa de um feriado na Alemanha. As ações da fabricante de caminhões MAN subiram 5,71%, em reação a novos informes de ofertas pela empresa. As da Volkswagen ganharam 1,54% e as da BMW avançaram 0,72%, em reação a seus informes de vendas nos EUA em setembro; as da DaimlerChrysler, porém, recuaram 0,43%. As da ThyssenKrupp caíram 1,76%, apesar da declaração de seu executivo-chefe, de que a empresa pretende assumir o controle da Dofasco até o fim do ano. Milão Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib terminou o dia em queda de 45 pontos, ou 0,12%, em 38.399 pontos. O destaque negativo do pregão foi o setor de petróleo, em reação à queda dos preços do produto (ENI perdeu 1,62%, Erg recuou 2,5%, Saras cedeu 2% e Saipem teve baixa de 3,1%). As da FastWeb subiram 1,98%, em meio a rumores de que a empresa estaria para ser adquirida pela Vodafone. As da Banca Popolare Italiana avançaram 4,30%, devido à expectativa de uma fusão com a Banca Popolare Verona e Novara (cujas ações recuaram 0,31%). Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou com desvalorização de 55,40 pontos, ou 0,43%, em 12.860,50 pontos. No setor de energia, as ações da Endesa subiram 1,96%, depois de a alemã E.On elevar sua oferta pela empresa. As da Metrovacesa, que voltou a estar entre as componentes do Ibex, caíram 7,15%. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 encerrou em queda de 38,10 pontos, ou 0,37%, em 10.333,26 pontos. De acordo com operadores, o mercado português acompanhou as baixas de outras bolsas européias. As ações da SonaeCom caíram 1,30% e as da Energias de Portugal recuaram 1,99%, devido à realização de lucros; elas haviam subido muito recentemente, em reação a informes de fusões. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.