Bolsas da Europa encerram o dia com ganho

As principais Bolsas européias fecharam em alta, reagindo à abertura positiva dos mercados norte-americanos, em meio a notícias sobre fusões e aquisições e informes de resultados de grandes empresas. O recuo dos preços do petróleo também contribuiu para o bom desempenho das ações, assim como o anúncio da holandesa Philips, de que há três diferentes consórcios de investidores com ofertas superiores a US$ 10 bilhões pela divisão de semicondutores da empresa (as ações da Philips subiram 6,6% em Amsterdã). O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 114,2 pontos (2,00%), em 5.833,9 pontos. Das 100 componentes do índice, apenas quatro fecharam em queda. As ações da Vodafone, que divulgou sua receita do segundo trimestre, subiram 3,60%. As da AstraZeneca avançaram 3,79%, depois de a FDA norte-americana anunciar a aprovação do medicamento inalável para asma Symbicort. As da Whitbread subiram 6,1%, após o Sunday Mail dizer que a Starwood Capital está interessada em comprar a empresa, que controla redes de hotéis, casas de café e restaurantes. As ações da Renkitt-Benckiser, do setor de produtos de limpeza, caíram 0,96%, em reação a seu informe de resultados. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 96,38 pontos (2,00%), em 4.914,93 pontos. Das 40 componentes do índice, apenas uma fechou em queda. As ações da Accor subiram 4,21%, em recuperação técnica; elas haviam caído 2,5% na sexta-feira, depois de a empresa divulgar o resultado do segundo trimestre. As ações do setor de tecnologia também se recuperaram das quedas da semana passada (CapGemini +3,93%, STMicroelectronics +2,29%). As ações do banco Crédit Agricole subiram 3,53%, em reação ao anúncio da formação de uma joint venture na área de crédito com a italiana Fiat. As ações da Peugeot-Citroën subiram 0,11%, depois de a fabricante de autopeças Faurecia divulgar resultados (as ações da Faurecia caíram 7,6%). Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 127,04 pontos (2,33%), em 5.578,05 pontos. Todas as 30 componentes do índice fecharam em alta. "Os investidores foram surpreendidos positivamente com a abertura forte de Wall Street, porque os futuros indicavam ganhos menores", disse um operador. As ações da SAP subiram 2,73%, recuperando-se das quedas da semana passada.As da Hypo Real Estate avançaram 5,81%, em recuperação técnica. Outros destaques foram Volkswagen (+4,00%), E.On (+3,48%) e Commerzbank (+3,95%). As ações da Schwartz Pharma caíram 4,63%, antes de a empresa divulgar resultados. Amanhã o mercado estará atento aos dados da balança comercial da Alemanha e ao indicador de vendas de imóveis nos EUA. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou em alta de 562 pontos (1,58%), em 36.154 pontos. As ações da Alitalia subiram 4,56%, recuperando-se das quedas recentes. As da Fiat avançaram 1,08%, em reação a seu informe de resultados do segundo trimestre. As ações dos bancos subiram, em meio a especulações sobre novas fusões no setor (Intesa +2,84%, Verona-Novara +2,46%). As atenções do mercado amanhã estarão voltadas para o informe de resultados da Telecom Italia (cujas aões subiram 2,72% hoje). Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 227,70 pontos (2,01%), em 11.561,60 pontos. As ações da Prisa subiram 4,21%, em reação a seu informe de resultados. As da Antena 3 avançaram 5,53%. Analistas da Norbolsa disseram que o Ibex tem nível de resistência em 11.650 pontos e que os investidores locais continuarão atentos a informes de resultados. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 37,61 pontos (0,40%), em 9.491,17 pontos. As ações do Banco Comercial Português, que divulga resultados amanhã, fecharam no mesmo nível da sexta-feira. As da Energias de Portugal, cujo informe de resultados sai na quinta-feira, 1,01%. As da Portugal Telecom avançaram 0,21%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.