Bolsas da Europa fecham com sinais opostos

As principais bolsas européias não conseguiram segurar os ganhos da manhã. A queda das petroleiras e das farmacêuticas eliminaram os ganhos das produtoras de metais, das empresas de tecnologia e das companhias de serviços de telecomunicações. A sessão foi turbulenta para o petróleo, que oscilou entre US$ 56,36 e US$ 55,10 o barril, afetando os ganhos de petroleiras como a BP, que abriu em alta e fechou em baixa de 0,8%. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 terminou com recuo de 25,90 pontos ou -0,42%, em 6.194,20 pontos. O declínio foi liderado pelos papéis da Land Securities e da Slough Estates, depois de o HSBC reduzir suas recomendações. A Cairn Energy contrariou a queda do setor de petróleo e subiu 3,3%. No setor farmacêutico, a GlaxoSmithKline perdeu 2,2% e a AstraZenecadown -,19%. Os papéis das mineradoras, como Xstrata e Anglo American, recuperaram um pouco das perdas da semana passada com o aumento dos preços do ouro. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, trminou em alta de 1,24 ponto ou 0,02% em 5.518,59 pontos. Ações de tecnologia lideraram os ganhos, com os papéis da CapGemini subindo 3,2%, e da STMicro com +2,8%. Os papéis da EdF fecharam com elevação de 2,1%, estimulados por notas otimistas de analistas. Os papéis da Peugeot subiram 1,4%, com a divulgação pela empresa de previsões postivas para as vendas em 2007. Liderando as quedas, as ações da European Aeronautic Defence And Space (EADS) recuaram 1,4%, apesar do anúncios de grandes encomendas do Airbus. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt fechou com o índice Xetra-DAX em alta de 14,50 pontos ou 0,22% em 6.607,59 pontos. Os papéis da empresa de energia E.ON encerrou com valorização de 0,6% após se recuperar de rumores de que a companhia faria um alerta sobre os lucros. Os papéis da Linde subiram 3,2% depois de serem adicionados à lista de compras do Goldman Sachs. Já as ações da companhia aérea Lufthansa caíram 2% por conta de uma realização de lucros. O mercado alemão estará de olho amanhã na divulgação de dados sobre o comércio exterior, conta corrente e produção industrial. Milão Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib caiu 71 pontos ou -0,17% em 41.500,00 pontos. O movimento foi puxado pela continuação da queda dos preços do petróleo, segundo um trader. As ações da Eni recuaram 0,7% e da Enel perderam 0,9%. Os papéis dos bancos também sofreram quedas, com o Banca Popolare di Milano recuando 1,7% e o Intesa Sanpaolo caindo 0,6%. O foco amanhã estará na Alitalia, com a reunião do comprador potencial da companhia aérea com sindicatos trabalhistas. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri encerrou com ganho de 17,60 pontos ou 0,12% em 14.322,30 pontos. Os destaques foram os papéis dos bancos Santander e do BBVA que recuaram 0,4% e 0,3%, respectivamente, numa reversão dos ganhos da manhã. Depois das quedas da última semana, as ações das empresas de energia Union Fenosa e da Gas Natural subiram 1,6% e 1,3%, respectivamente. Lisboa A Bolsa de Lisboa terminou com o índice PSI-20 em alta de 66,17 pontos ou 0,59% em 11.309.17 pontos e com os investidores preparados para os balanços do quarto trimestre. Os papéis da Portugal Telecom subiram 1% com as notícias de que a SonaeCom vai aumentar sua oferta. As ações da EDP tiveram ganho 0,5% depois que o Goldman Sachs elevou seu preço-alvo para os papéis. Outros destaques da alta foram as ações da Sonae SGPS, com 2%, da SonaeCom com alta de 0,6% e do Banco BPI, com avanço de 0,3%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.