Bolsas da Europa fecham em alta com leilão de bônus da Itália

Investidores reagiram também a dados mais otimistas com relação aos números de desemprego nos EUA

11 de abril de 2013 | 13h44

 As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quinta-feira, após um leilão de bônus relativamente bem-sucedido da Itália e um dado positivo sobre o mercado de trabalho nos EUA. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,60%, fechando a 294,96 pontos.

O Tesouro italiano vendeu um total de 7,169 bilhões de euros em um leilão de bônus que incluiu um novo papel de três anos com taxa fixa, a reabertura de um papel de 15 anos e um papel de quatro anos com taxa flutuante. O foco do leilão ficou concentrado nos novos bônus com vencimento em maio de 2016, cujo montante vendido somou 4,0 bilhões de euros, conforme o pretendido. "Os bônus italianos se beneficiaram das notícias sobre relaxamento quantitativo no Japão nos últimos dias, embora ainda não haja evidência de compras diretas pela Ásia", comentaram estrategistas do BNP Paribas em relatório.

Nos EUA, o número de trabalhadores que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 42 mil, para 346 mil, na semana até 6 de abril, após ajustes sazonais, segundo informou o Departamento de Trabalho. Trata-se da primeira queda em quatro semanas. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam uma leitura maior, de 360 mil solicitações.

Craig Erlam, analista de mercado da Alpari, comenta que apesar da alta recente nas bolsas europeias os volumes de negociação estão muito baixos. "Se o humor se tornar mais negativo e os volumes aumentarem, nós podemos ver uma forte queda nas bolsas", comenta.

Nesse cenário, o índice FTSE, da Bolsa de Londres ganhou 28,77 pontos (0,45%), encerrando a sessão a 6.416,14 pontos. A varejista Marks & Spencer teve alta de 4,33%, após atualizar dados sobre suas vendas no quarto trimestre do ano passado. A gestora de ativos Schroders avançou 2,74%, depois de uma elevação na recomendação do Citigroup. Já a Evraz despencou 11,40%. A mineradora divulgou hoje que teve prejuízo de US$ 335 milhões no ano passado e fez uma projeção cautelosa para este ano.

Em Paris, o índice CAC-40 teve alta de 31,95 pontos (0,85%), fechando a 3.775,66 pontos.  A GDF Suez ganhou 1,66%, após ter sua recomendação elevada por um analista. As ações do setor financeiro também registraram bom desempenho (Société Générale +1,44%, Credit Agricole +1,38% e BNP Paribas +1,23%). Já a siderúrgica ArcelorMittal perdeu 1,43%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX ganhou 61,00 pontos (0,78%) e fechou a 7.871,63 pontos. Entre os destaques de alta aparecem a Infineon Technologies, com valorização de 2,77%, e a Deutsche Telekom, que avançou 1,97%.

O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, subiu 92,27 pontos (0,58%), terminando o dia em 16.020,91 pontos. Em Madri, o índice IBEX-35 teve alta de 23,10 pontos (0,28%) e fechou a 8.159,50 pontos. Na contramão, o índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, perdeu 22,40 pontos (0,38%), a 5.939,17 pontos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.