Bolsas da Europa fecham em alta lideradas por Milão

As bolsas européias fecharam em alta nesta segunda-feira, comandadas pela de Milão, onde o índice S&P/Mib subiu 507 pontos, ou 1,33%, para 38.496 pontos. As ações italianas foram impulsionadas pelas pesquisas eleitorais que dão vitória para a coalizão que apóia Romano Prodi. Os papéis mais diretamente afetados foram os da Enel e da Mediaset. A primeira subiu 0,4%, desempenho abaixo da média do mercado, com os observadores sugerindo que um governo de centro-esquerda poderá ser prejudicial para as estratégias da companhia. Mediaset, que pertence à família de Silvio Berlusconi, subiu quase 2%. Embora os analistas prevejam um regime regulatório mais difícil para a empresa, eles acreditam também que os investidores tiveram tempo de sobra para precificar essa possibilidade. A Bolsa de Paris encerrou com o índice CAC-40 com ganho de 15,31 pontos, ou 0,30%, aos 5.190,27 pontos. A produção industrial da França recuou 0,9% em fevereiro ante janeiro. Hoje o presidente do país, Jacques Chirac, disse que vai substituir o chamado contrato de primeiro emprego (CPE), elaborado na tentativa de derrubar o índice de desemprego entre os mais jovens, por novas medidas com o objetivo de ajudar "jovens em desvantagem a encontrar emprego". "Mesmo antes do impacto negativo da crise do CPE, a evolução da produção industrial em fevereiro traça um cenário do estado atual da economia francesa: em queda livre", disse o estrategista Marc Touati. Renault terminou em queda de 0,92%, Total avançou 1,3%. Em Londres, o índice FT-100 subiu 40,90 pontos, ou 0,68%, aos 6.067,00 pontos. Mineradoras seguem beneficiadas pela alta dos preços de metais (Antofagasta +3,37%, Kazakhmys +2,92%). O avanço dos preços do petróleo, provocado por notícias de que os Estados Unidos preparam uma ação militar contra o Irã, contribui para os ganhos da BP (+1,76%) e Royal Dutch Shell (2%). Compass Group saltou 4% após concordar em vender uma de suas divisões por US$ 3,18 bilhões. Vodafone ganhou 0,4%, com a notícia de que um consórcio de grandes empresas de telecomunicações e grupos de private-equity está estudando uma oferta de US$ 168 bilhões pela companhia. A Bolsa de Frankfurt, o índice Dax avançou 50,48 pontos, ou 0,85%, fechando em 6.003,40 pontos. RWE fechou em alta de 2,2% e E.On, de 1,6%. Em Madri, o índice Ibex-35 avançou 0,80 ponto, ou 0,01%, aos 11.817,50 pontos. Grupo Ferrovial perdeu 1,9%, pressionada pela oferta de cerca de US$ 15 bilhões feita na sexta-feira para comprar a operadora de aeroportos britânica BAA. Acciona caiu 1,3%, com realização de lucros. A bolsa de Lisboa terminou com o índice PSI-20 em queda de 9,07 pontos, ou 0,09%, aos 10.311,42 pontos. Portugal Telecom recuou 0,5%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

10 Abril 2006 | 14h37

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.